Virada Cultural.

Por Marcelo Felix. @CeloHate

 Todo ano acontece o evento conhecido como Virada Cultural, com 24 h ininterruptas de programações como teatro, música, dança entre outros e como dito anteriormente pela Détachez, alguns de nossos amigos ficaram responsáveis por mandarem para nós suas resenhas e pontos de vista sobre como foi o evento. Quem nos mandou o primeiro texto foi o Marcelo, que conheci a poucos dias espero que vocês gostem.

Virada Cultural 2011.

A Virada Cultural é um evento realizado todo ano em São Paulo com vários palcos espalhados pela cidade, como na estação Júlio Prestes, Anhangabaú entre outros. O evento atrai vários tipos de espectadores com diversos gostos. Cada palco possui uma atração diferente, teve o palco de Rock, de Stand Up, de música eletrônica, era só ir para onde mais te agradasse e se divertir.

Particularmente essa foi minha primeira vez na Virada Cultural e achei bem legal, tinha bastante gente no palco de rock , a aparelhagem de som estava bem feita e o pessoal se divertindo. É legal ver um evento que atraia bastante gente para São Paulo quebrando aquela rotina que a cidade tem.


As pessoas necessitam de coisas novas e seria uma boa ter mais eventos deste tipo, é nesses momentos que nós vemos o quanto São Paulo é viva e a diversidade de cultura existente nela.

Jeh Vias.

Aborto: Crime ou Escolha?

Por Jéssica Vias. @jehvias

Eu converso tanto com a minha linda da vez, que outro dia ela me deu uma idéia muito polêmica. Achei que isso fugiria da idéia do blog e disse para que ela fizesse a pesquisa e o post e man, confesso que fiquei surpresa com o lindo post que ela me deu de presente.

Espero que vocês também curtam.

Bom como este é meu primeiro post, escolhi um tema mais crítico e de menor repercussão na sociedade, o conteúdo apresentado é extremamente informativo e a intenção aqui não é politizar, cabe a vocês leitores, tirarem suas próprias conclusões.

Claro que o blog foi criado para expor assuntos sobre o Estado de São Paulo de uma forma mais cultural, porém para mostrar que não somos limitados, resolvemos abrir um espaço para alguns outros assuntos, como viram já falamos sobre homofobia anteriormente, e pretendemos continuar levando informações diversas e expondo nossas opiniões.

Quero agradecer principalmente a @Detachez por me permitir mostrar minhas ideias e opiniões, também a Nicolle Terrorzinho e a minha amiga que preferiu não se identificar, por terem contribuido com o enriquecimento de informações. Para nós é um grande prazer compartilhar este espaço com vocês, e um grande orgulho que nos tenham ajudado.

Jéssica Vias.

#Aborto.

Fonte: http://www.fotosantesedepois.com/2011/03/14/aborto-espontaneo/

Aborto: é o ato de interromper uma gravidez, a expulsão natural de um feto, ou sua retirada por meios artificiais, sem que o mesmo tenha condições de sobrevivência fora do útero. As consequências deste ato podem ser irreversíveis e nocivos à saúde da mulher.

Acredita-se que nenhuma mulher quer ou espera realizar o aborto, muitas vezes ele é expontâneo e inevitável. Veja abaixo o depoimento de uma amiga de 22 anos, que passou pela experiência de sofrer um aborto expontâneo, prestado por msn:

“Bom… eu não fiz o aborto. Eu tive, tinha 12 semanas, três meses, ele estava indo pro 4° mês, eu era nova e nunca tinha menstruado… tive relação com um rapaz e acabei engravidando… fiquei preocupada… demais! pelos meus pais e tudo mais… fui a medica e fiz exames e ela disse que não sabe como eu consegui engravidar, e pediu pra que tomasse muito cuidado. eu tinha/tenho um problema chamado ovário policístico… Esse problema tem vários tipos e níveis. mas enfim… eu comecei a ficar muito preocupada. não conseguia dormir. tinha insônia. o enjoo. e todo o resto… até que eu comecei a sangrar… eu era nova e achei que era besteira… fiquei um dia inteiro sangrando até que de noite eu tive dores horrorosas e minha mãe me levou ao médico. cheguei lá desacordada… acordei pra poder fazer o ‘parto’ não sei se minha memoria bloqueou… não sei explicar. Mas não consigo lembrar de detalhes como foi.. não sei se era por que eu tinha tomado remédios… ou o que aconteceu… mas lembro da situação… você faz força… como se fosse ter o bebe mesmo… só que ele não chora… eu lembro que o médico perguntou se eu queria ver e eu disse que não.. até hoje não sei se era menino ou menina fui pra casa uns 2 dias depois… e você se sente amputada é um vazio tão grande que eu não gosto nem de lembrar.. e hoje em dia eu ainda faço tratamento.. por que tenho sérios problemas nos meus ovários e no meu útero .. a médica ainda não pode me dar certeza de que poderei ter filhos futuramente… não se sabe ao certo o porque… mas eu não ovulo mais proveniente ao ovário policístico, faço tratamento pra isso.. e psicologicamente… eu fiz terapia.. pois não conseguia parar de chorar… e até hoje eu olho crianças na rua e imagino que poderia ser meu sabe… sou uma pessoa sã mas sempre dá aquela dorzinha… sinto como se tivessem tirado o meu direito de ser mãe, mulher… o direito do meu corpo sabe…”

Obs.: Nenhuma mulher que tenha realizado o aborto por sua livre e espontânea vontade, quis prestar depoimento.

Fonte: www.chargesdolane.blogspot.com

Fonte: http://agenteselascamassediverte.blogspot.com/

Referente a este tema cada pessoa tem sua opinião, resolvi então analisar melhor os grupos formados na sociedade e escolher um que se destacasse com uma opinião mais firme para que vocês possam refletir, o grupo em questão é formado por mulheres que acreditam no direito da mãe, as Feministas, elas defendem que cabe à mulher em caso de gravidez, decidir retirar o feto ou não, além de também serem a favor de melhoria nos meios de educação. Como tive a oportunidade de conhecer a Nicolle (@_terrorzinho_) esposa do Nenê Altro (vocalista da banda Dance Of Days, e muito atuante na cena independente) resolvi fazer-lhe algumas perguntas, para que pudesse entender melhor esta visão.

@jehvias – Nós vivemos em uma sociedade muito machista, onde a mulher é taxada de sexo frágil. Além disso, temos também a igreja católica, com os princípios moralistas, onde sempre condenam o Ato, por intitularem-se “A favor da vida”. Como feminista qual o seu ponto de vista geral sobre essa questão do aborto intencional?

Nicolle Terrorzinho– A questão do aborto a princípio, é uma questão individual. É a pessoa que tem que decidir se é contra ou a favor do aborto, pois diz respeito ao próprio corpo e a seus valores pessoais. Já a legalização do aborto deve ser uma luta de todos, pois a pessoa deve ter o direito da opção e principalmente, de assistência médica decente. A legalização do aborto evitaria a morte de milhares de mulheres que não são só chacinadas pela lei e pelo Estado como também pela falta de instrução, apoio, e educação. Quanto à igreja, uma sociedade decente não se deixaria regrar por valores religiosos, pois cada um acredita no que quer e ninguém deve ser obrigado a engolir através da lei a crença alheia.

@jehviasVocê acha que a mulher sendo responsável por seus atos, deve ter o direito de optar se deve ou não interromper a gravidez?

Nicolle TerrorzinhoAcima do direito da opção, eu sou a favor do direito a educação. Ninguém gosta de aborto. Ninguém marca de ir fazer um aborto como se marcasse de ir comer esfihas. Acredito que a mulher deva ter o direito SIM. Mas também acredito que uma boa educação sexual seja fundamental. Afinal, o aborto é uma medida extrema e não é algo que considero humano para que seja utilizado indiscriminadamente como um método de controle de natalidade. Essa é minha opinião.

@jehviasComo vimos nas eleições de 2010, A atual presidente Dilma iniciou sua campanha dizendo que apoiaria a liberação do aborto, porém após verificar que perderia os votos dos católicos, que hoje totaliza 61% aproximadamente da população, mudou sua estratégia, o que você acha da postura de Dilma Rousseff?

Nicolle TerrorzinhoEu SEMPRE, SEMPRE desconfio dos vermelhos hahahaha.

Seguindo essa linha de pensamento lembrei que nas ultimas eleições a presidenta Dilma Rousseff declarou publicamente ser a favor do aborto e disse também que legalizaria a prática.

Fonte: http://pragmatismopolitico.blogspot.com/2010_10_01_archive.html

Comparou o aborto a extração de um dente:

“Não é uma questão se eu sou contra ou a favor, é o que eu acho que tem que ser feito. Não acredito que mulher alguma queira abortar. Não acho que ninguém quer arrancar um dente, e ninguém tampouco quer tirar a vida de dentro de si”.

Veja o depoimento de Dilma em declaração à revista Marie Claire, edição 217, abril de 2009:

Depois Dilma mudou seu discurso dizendo que não iria mais legalizar, é muito importante levar esse tipo de declaração a sério, pois essa pessoa será representante de nosso país. Não quero dizer com tal afirmação, que nós não possamos mudar de opinião, podemos e devemos, basta assumir abertamente, de forma sincera, sem a preocupação de ganhar eleição sendo “candidato popular”.

E aí, qual sua opinião sobre o Aborto? Conte-nos.

 fontes:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100930/not_imp617561,0.php

http://www.anael.org/portugues/aborto/index.htm

VER:

http://terrorzinho.wordpress.com

Spinelli Détachez.

A Lapa De Baixo.

Por Dora Celestino. @doracelestino

Esperei ansiosamente por este post, porque eu me apaixonei pela foto que o inspirou. Aliás, o título do post é uma coisa linda por si só.

Conversando com a minha linda Dora, ela me disse que trabalha na Lapa, e chegou a ver uma foto minha e das pests @JeehAvelino @jossanaana estação da Lapa. Um mural belíssimo que tem por lá e eu escolhi um lindo desenho.

Ela me disse que sempre via um outro mural na Lapa de baixo, minha curiosidade não se segurou dentro de mim então pedi para que ela tirasse uma foto e resenhasse sobre o que sente ao ver o mural.

O desenho é uma homenagem aos 150 anos da Ferrovia e aos 450 anos de São Paulo. Espero que gostem da visão da Dora sobre o mural e identifiquem-se com ele assim como eu. [E apaixonei, claro].

Mural da Lapa

A primeira vez que vi esse mural era uma tarde de sábado, eu estava chegando no trabalho depois de uma semana de atestado, quando o vi na estação da Lapa (estação da Lapa de Baixo) me encantei a primeira vista sem saber bem o porquê.

Fiquei com uma certa fixação nesse mural, até que comecei a reparar em seus detalhes e descobri o que tanto me prendia, era os olhos de alguns dos personagens, eles trazem olhares que a gente costuma ver nos milhares de rostos desconhecidos pelas ruas de São Paulo.

Olhares esses que por diversas vezes nos encantam, mesmo sem conhecermos seus donos, sentir que uma pessoa retribui uma cruzada de olhar ternura no meio da multidão faz você se sentir como se não estivesse só nessa mega cidade que tenta te engolir todos os dias, te enlouquecer com o transito, transporte publico e todos seu caos.

É exatamente essa sensação que eu sinto a cada vez que olho esse mural, afinal São Paulo é isso, uma cidade que não quer ser cinza, repleta de rostos desconhecidos, de multidões a perder de vista.

São Paulo tenta te dizer em pequenos detalhes, em todos seus rostos, formas, diferenças, que você não esta sozinho nesse mundo, que alguém em algum lugar esta pronto pra retribuir um olhar, um sorriso discreto no meio da multidão, sorriso esse que é capaz de mudar o seu dia quando é dado de maneira sincera.

Spinelli Détachez.

São Bernardo Rules.

Em meio ao caos que São Paulo ficou neste final de semana de 16 e 17 de Abril de 2011, eu parti em uma viagem incrível para São Bernardo do Campo.

Foi a quarta vez que colei por lá e man, só tenho a agradecer pelo meu namorado morar lá. Porque a cidade é rica em picos legais, o que me deu idéia para este post.


Se tem uma coisa que eu admiro em São Paulo são os skatistas e sinto tanto por eles, por não ter uma infra-estrutura e o devido valor e respeito, mas sempre acabo achando coisas tão pequenas que são válidas de citar.

Em Jordanópolis – São Bernardo, tem um pico bem louco, vale a pena dar uma conferida. O lugar é meio longe, o acesso meio tenso, mas é como se procurasse o paraíso, e na sorte, encontrar.


Tem um mini-hemp bem bacana e liso, eu mesmo testei. [Pois é, pasmem com isso.] E a quadra, enquanto os futebolistas não colam, fica livre para uma brincadeira de skate bem bacana.


Fora a parte de arte da pista.

Eu estou me encantando com os trampos legais que eu vejo por São Paulo, e São Bernardo está lotada de paredes lindas. E com essa pista não é nada diferente.

A pista é bem simples, mas tudo nela é encantador de verdade. É um pico longe, mas que vale muito a pena visitar. Fora que o nosso rolê skatista é sempre junkie. O pico é altamente recomendável, e é mais uma idéia nossa para o blog, mostrando um lugar de São Paulo onde quem for levará para casa muitas histórias para contar.

Spinelli Détachez.

P.S.:  Heltinhow deu a dica então vou explicar uma coisa. Que fique claro que a idéia deste post é mostrar que em São Paulo existem picos onde o rolê de skate é bem vindo. Eu apenas indiquei um deles. Ok?

Virada Cultural 2011

O fato é que, em 2011 acontece a 7ª edição da Virada Cultural em São Paulo inteira. O evento trás musica, teatro, cinema, literatura e tudo que se pode imaginar, para mais perto das pessoas. É uma ótima maneira de fazer com que a cultura e a arte estejam mais acessíveis para as pessoas.

O itinerário este ano [na minha opinião] está fraco, e por este motivo eu lancei algumas responsabilidades em cima de alguns amigos. Eles terão a missão de lembrar do rolê inteiro e mandar suas resenhas para posts incríveis que serão publicados ao decorrer do restante do mês. Tem gosto para tudo, afinal, onde você olha tem virada.

Segue o link com a programação e eu desejo a todos que forem um ótimo rolê. E por favor, me tragam ótimas histórias.

http://www.viradacultural.org/programacao

Spinelli Détachez.

É poluição ou arte de rua?

Por Fernanda Détachez.

Eu queria saber falar sobre isso. Pixação, coisas que as pessoas escrevem, desenham nas paredes da cidade, este tipo de coisa é sujeira ou apenas uma forma de mostrar o que se tem a dizer.

Poucas pessoas escutam o que falamos e uma palavra, escrita, falada, desenhada, não importa, uma palavra pode mudar tudo. Tenho um exemplo bem bacana que a minha linda @priiicaaa_h me deu outro dia.

Ela sempre posta no fotolog uma frase que viu na rua: “Qual é o seu mundo chuvoso?” Isso me fez lembrar que foi por causa de uma frase que eu vi pixada na rua, que este projeto se iniciou.

Andando pela zona norte há algum tempo, eu cheguei a ver um muro com umas tags e pixações bem bacanas, inclusive de uma garota que ficou conhecida por pixar na Bienal em São Paulo.

A Carol Pivetta, ou Sustos, lançou no muro uma coisa bem bacana, e a quem interessar o muro fica na Av. Mazzei, Tucuruvi, São Paulo. Eu gosto muito da Carol porque ela mostra que esse tipo de expressão não é coisa somente para homens. Mesmo porque, todos somos seres humanos, com vontades, e idéias igualmente boas. Independente do sexo que se tem.

Encontrei uma foto na internet, que me fez muito feliz. Tem uma tag de uns amigos meus da minha vila, e eu achei bem interessante porque é sempre bom ver o trampo de pessoas conhecidas pelas ruas de São Paulo. Você se sente em casa. Bom, não sei se com vocês é assim. Mas comigo é. E eu curto bastante e reconheço o trampo das pessoas.

Eu mesma andei lançando frases de músicas do Dance Of Days pela CPTM, e já havia lançado até meu antigo link no Twitter no ônibus e outro dia sentei de frente com meu próprio “trampo”. Eu ri para mim mesma. Foi como eu disse, me fez sentir que eu estava em casa.

Acho que todo mundo deve sentir o mesmo que eu. Andar pelas ruas de São Paulo e ver que um desenho, uma letra, uma palavra, lembra algo, faz com que você se sinta bem, muda seu dia. Esse tipo de coisa que deveria valer a pena. Como no post anterior sobre a casa e suas histórias. Se as pessoas dessem valor à pequenas coisas, com certeza olhar pelas ruas da cidade doeria menos.

Espero que vocês gostem das fotos e logo menos eu prometo postar a tão famosa foto do muro que inpirou o blog. E quero ler suas histórias sobre este tipo de coisa. Como é para vocês verem a cidade e as coisas lindas que ela tem marcadas, como tatuagens em sua pele? Como disse a frase da @priiicaaa_h, qual é o seu mundo chuvoso? Reflitam sobre o que faz a felicidade dos seus corações e olhos. Eu vou gostar de ver a recíproca do post de hoje que para mim tem um significado a mais.

[A maioria das fotos peguei na net. Sendo uma minha e a ultima tag do EF73 por: http://www.fotolog.com.br/ef73

Spinelli Détachez.

Um dia comum.

Por Jéssica Avelino. @JeehAvelino

Foi um dia interessante aquele. Estava muito quente no trabalho e eu queria por que queria sair para tirar umas fotos. A parte difícil foi conseguir convencer a Jéssica Colorida de que ia ser good trip sairmos do Tamboré e corrermos para Pinheiros, naquele calor infernal.

Depois disso, tudo foi bem azul. E eu pedi encarecidamente para que minha pest Jéssica Thainar dos Santos Avelino, descrever como ela viu esse dia. [Eu coloco o nome completo dela porque ela ODEIA que abreviem.].

Ela fez um lindo post e eu fico orgulhosa em colocar aqui a visão de um dia que foi meio decepcionante. Espero que gostem…

Estávamos com uma ideia já fazia mo cota de colar em uma casa em Pinheiros  que uns amigos da pest encontraram pra tirar umas fotos. Nessa casa tinha varias imagens, pinturas, posteres e etc. Dai como já nem gostamos né, pegamos o trem sentido PINHEIROS andamos pra porraaaaa, quase não chegamos no bang man, durante todo o percurso fomos fofocando EU, NANDA e COLORIDA.

Até que finalmente chegamos e para nossa surpresa: Cadê a casa? O.O

Havia sido demolido no dia anterior. Poxa ficamos tão tristes… Como assim derrubaram a casa? Bem louca a casa e ela nem estava abandonada.

Olha o que sobrou dela…

Enfim, logo na frente tem uma galeria que não me recordo o nome,
então fomos lá perguntar sobre a casa, e uma moça nos contou o que aconteceu. Lá era um pizzaria, que os donos compraram outro local e pá e deixaram a chave da casa com as mocinhas da galeria de exposição lá, porque eles já sabiam que ia ser demolida.

Ela nos disse que nem tava abandonada a casa, que elas cuidavam,
chamavam varias pessoas para fazer as pinturas e suas pixações, também faziam festas no local… Realmente foi uma grande pena ter sido demolida.

Então a moça nos convidou para olha a galeria, entramos, gostamos, tiramos fotos e pa tinha varias pinturas fodas. Ficamos horas lá sem fazer nada, obversando as paredes, voltamos para nossas casas desapontadas porque não conseguimos tirar as fotos com a
casa ainda ali, mais tudo bem foi legal.

Sabe são muito deprimentes as coisas, as pessoas dão valor pra coisas tão sem nexo, que deixam passar as coisas que levam tantas pessoas correr atras daquilo que gostam, poderiam ajudar tanta pessoas que estão perdidas no mundo, mais como sempre, ninguém pensa no bem do proximo…

Bom, eu ainda, tomei a liberdade de fuçar na internet, antes de finalizar este post, e encontrei uma surpresa para a Jéssica. Sei que não é muita coisa, a gente já tinha visto algumas fotos da casa em pé, mas nada que mostrasse uma visão panorâmica da casa, nada que mostrasse a frente em pé, porque foi triste mesmo ver a casa no chão.

Então Jéssica, espero que você tenha gostado da minha pequena surpresa.

Spinelli Détachez.