Marcha para a liberação da Maconha

Eu fuçando na net, ontem, num sábado frio, vi uma foto que me chocou. Alguns policiais estavam agredindo pessoas que usam e são a favor e estavam na marcha da maconha.

O detalhe que me chamou atenção foi que eles estavam sem suas identificações. Sem o nome que fica grupado por velcro no peito do colete.

Então, eu me lembrei de outro dia que eu estava voltando do trabalho, um calor infernal, e eu e mais dois amigos gays andando na rua, rindo e decidindo onde iriamos bolar o beck e acender para dar umas puxadas. Havia muito movimento na rua e a gente estava pensando, mas não achamos nenhum lugar “escondido”.

Sentamos na frente do Habib’s de Carapicuíba, que para quem não conhece, tem um ponto de ônibus e uma mini “praça”. Sentamos num dos bancos e ele bolou e fumamos ali mesmo. Às 14:30 por aí, um trânsito tenso na principal avenida da cidade: Inocêncio Seráfico, e avistamos de longe uma van policial.

Mesmo assim continuamos puxando e curtindo sem sequer pensar nas consequências se alguém nos pegasse ali.

Depois de ver as fotos na net, fiz uma pesquisa rápida e vi que a marcha em São Paulo aconteceu dia 21/05/2011 e rolou muita tensão na Av. Paulista, que foi onde rolou a manifestação. Eu fiz algumas perguntas para usuários e não usuários e editei com o conteúdo que eu julguei importante.

Espero que curtam.

Por Hick Coelho. @sabermeunome

SPNQSC – Porque você nunca fumou maconha?

Hick – Tenho uma filosofia de vida muito clara em relação a isso. Não fumo, não bebo e não me drogo. Não gosto do fato de algo alterar minha consciência. Se faço algo, é por que quero fazer, porque tenho coragem e atitude pra tal. Tenho que ter certeza de que minhas atitudes são plenamente conscientes, e que fiz, disse, agi, por mim mesmo, sem nenhum artifício. Assim encaro sempre a vida de cara limpa… Também não gosto do fato de ter desculpas para meus atos, quando digo ou faço algo, sei exatamente as consequências e arco com elas. Mas acho que cada um tem o direito de fazer o que quiser de sua vida, não condeno quem usa, cada um sabe o que é melhor pra si. A atitude da PM foi absurda. Transformaram uma marcha pacífica num palco de abuso de poder e violência gratuita… Na cabeça deles eram todos “maconheiros vagabundos” que mereciam apanhar, mas não é bem assim.

SPNQSC – O que VOCÊ pensa quando ouve a palavra MACONHEIRO?

Hick – Não sei direito o que pensar, afinal, como quase todo mundo, me acostumei a ouvir e usar essa palavra. Posso ser muita coisa, mas não sou hipócrita, só às vezes. Já chamei, e chamo usuários de maconha de maconheiros quando os vejo na rua. Mas as pessoas são engraçadas, quando é seu amigo tudo bem, é só um “peguinha na boa”, mas quando é um desconhecido, não passa de um “maconheiro”. Todos somos hipócritas as vezes, mas o termo “maconheiro” já caiu no inconsciente popular… Acho que nem os usuários ligam mais, eles mesmos se chamam assim.

Por Janaína Andrade.

SPNQSC – Há quanto tempo e porque você fuma?

Janaína – A primeira vez que fumei foi aos 14 anos. Porque eu fumo? Sei lá, às vezes eu curto. Dá uma paz, não é que da paz… Você fica mais leve, viaja…  Às vezes é bom.

SPNQSC – O que VOCÊ pensa quando ouve a palavra MACONHEIRO?

Janaína – Sei lá, antes maconheiro do que policial (risos).

Aqui vão alguns sites que falaram sobre a manifestação em São Paulo e um vídeo com uma entrevista com Sérgio Vidal, um antropólogo que escreveu um livro sobre pessoas que cultivavam maconha para uso próprio.

O Globo:

http://oglobo.globo.com/cidades/sp/mat/2011/05/21/marcha-da-maconha-acaba-em-conflito-com-policia-militar-924510044.asp

Blog Marcha da Maconha:

http://blog.marchadamaconha.org/

Grupo Interdisciplinar de Estudo sobre Substâncias Pscioativas (GIESP), perfil de Sérgio Vidal:

http://www.giesp.ffch.ufba.br/pes_vidal.htm

Entrevista com Sérgio Vidal:

Em 29/05/2011 o ex-presidente da república, Fernando Henrique Cardoso, deu uma entrevista ao Fantásico, defendendo a liberação do uso de maconha. Abaixo o trailer do documentário Quebrando o Tabu, feito por ele, com participações exclusivas e interessantíssimas de Dráuzio Varela, Paulo Coelho, Bill Clinton, Jimmy Carter, sendo os dois ultimos ex-presidentes dos Estados Unidos. O documentário foi dirigido por Fernando Grostein Andrade.

Spinelli Détachez.

Anúncios

Music

Como dito no post anterior o blog está cheio de novidades para vocês, a começar pela moderação do nosso querido e amigo Fabio Nasci @FabioNasci que inclusive é o autor do post de hoje, nosso intuíto era expandir os assuntos do blog, que como já sabemos, aborda vários temas relacionados a cidade de São Paulo e também assuntos existentes  na sociedade.

Hoje o tema foi Música, então boa leitura a todos!

Para estrear meu 1° post vamos falar sobre uma banda que em breve chegará aos seus ouvidos. Eu já ouvi e gostei muito, tem tudo para dar certo.
A banda é formada por ex-integrantes e integrantes de bandas como Fake Number, Voiced, Dallas Ink, Projeto Santa fé, entre outras. Eu bati um papo com o Mark Acoroni (Baixo) confira ai a entrevista:

SPNQSCAntes da saída da Fake Number, vocês já tinham planos para esse projeto ou ele surgiu depois com o tempo?

MarkNa verdade sempre tivemos planos de montar uma só de meninos, sempre tivemos uma amizade mais intensa, saíamos mais, fazíamos sempre tudo juntos e o entrosamento nosso sempre foi maior que com o resto da banda, quando decidimos sair já tínhamos em mente como seria essa banda!

SPNQSCVocês estão em estúdio gravando um futuro EP, como vai o andamento das composições, fala um pouco para nós do universo de vocês?

MarkSim, estamos gravando no estúdio do nosso guitarrista Leon (Estúdio MK) com um Brotherzão nosso, o Nage guitarrista da banda Super Toy,  aos poucos umas 6 musicas, na banda todos compõem de tudo, não é só porque sou baixista que não posso dar opiniões nas guitas, na batera, nas letras ou vice e versa. Na banda não tem nenhum tipo de vaidade, todas as idéias são válidas e no ensaio tentamos executar da melhor forma possível, não só nos ensaios, sempre estamos juntos um na casa do outro compondo ou falando alguma besteira! hahaha

SPNQSC Vocês lançaram um single recentemente, ele esta atingindo as expectativas de vocês?

Mark É então, acabamos de lançar “O Mundo é Seu” não foi a primeira música que fizemos, mais achamos que seria legal lançar ela primeiro, a vibe do som é boa e tinha tudo a ver com a gente, acho que a galera ta gostando sim, recebi poucas críticas e muito mais elogios sobre ela, a banda querendo ou não é nova e tem muito para amadurecer e melhorar ainda! Essa música ainda conta com a Mixagem e Masterização do mestre Lampadinha, então com certeza está além das nossas expectativas!!!

SPNQSC E sobre shows?

Mark Vamos fazer nosso primeiro show dia 14 de junho no Vegas, fica ali na rua Augusta, vai ser numa terça feira em uma balada que sempre colamos e fomos bem recebidos (Dreams Factory). Depois disso vamos ver o que rola e fazer o máximo de shows possíveis!

SPNQSC –  Por que o nome “Maliboo” e como vocês chegaram a uma decisão? Afinal é uma etapa difícil escolher nome de banda.

MarkE como foi difícil viu hahaha, Maliboo foi uma idéia do Gah, tinha tudo a ver com a gente, calor, praia, mulheres hahaha, resumindo um pouco é isso, também tinha aquela série que para os mais velhos lembrarem o S.O.S Malibu, que pelo menos eu nunca perdia um episódio hahahah, ae demos uma modificada na palavra até porque se você procurar tem muitas coisas relacionadas a Malibu, mudamos pra Maliboo para ficar um nome mais próprio!

SPNQSC Eu sinceramente to confiante na banda, ela esta ótima e de parabéns!
Agora deixa um recado ai para o pessoal do blog.

Mark Primeiramente quero parabenizar o blog pela atitude e agradecer o espaço, acho que deveríamos ter muitos outros como esse que leve uma informação nesse nível para a galera, também quero agradecer todo apoio e não deixar de convidar todos para o nosso primeiro show dia 14 no Vegas, mais informações no nosso twitter oficial (@Maliboorock) Obrigado e um abraço forte a todos!

Você pode escutar o 1° single da Maliboo aqui: http://www.soundcloud.com/maliboorock

Shows:

Considerada como um dos símbolos do pop dos anos 80, a dupla inglesa Erasure confirmou que fará uma turnê pelo país em agosto, porém, as cidades que receberão os shows não foram definidas. Será a terceira vez que Vince Claker e Andy Bell vêm ao Brasil. As duas outras passagens aconteceram na década de 90.

Surgida em 1985, a dupla alcançou o sucesso no terceiro disco, gravado em 1988, que tinha a canção A Little Respect, considerado o maior hit do duo. No início dos anos 2000, os cantores deram uma pausa do cenário musical e retornaram à cena em 2007, com a gravação do disco Light at the End of the World.

Fonte: http://www.guiadasemana.com.br

Agenda para o final de semana:

10 ANOS SEM JOEY RAMONE NO HANGAR 110

Data 28/05/2011 (Sábado), 18:00

Teenage Lobotomy (Ramones cover),
L.L. 77 (Redson do Cólera tocando o melhor de Sex Pistols),
Dr. Joker (Social Distortioncover)
The Bum Squad (Black Flag cover)

R. Rodolfo Miranda, 110 – Bom Retiro São Paulo/SP

SUGAR KANE, BULLET BANE E CHUVA NEGRA

Data 28/05/2011 (Sábado), 23:00

Clube Outs – R. Augusta, 486 – Centro – São Paulo/SP

FAST 89 MUSIC LIVE

Data 29/05/2011 (Domingo), 00:00

O Surto
Fake Number
Hateen,
Lipstick
Izi

Carioca Club – R. Cardeal Arcoverde, 2499

SAMPA MUSIC FESTIVAL 4

Data 29/05/2011 (Domingo), 10:00

Fresno
Gloria
Rancore
Quarter
Mash
Granada
+ bandas

MIXTAPE NO OUTS

Data 29/05/2011 (Domingo), 16:00

Mixtape
Boneca De Vidro
HyFy
+ bandas

Clube Outs – R. Augusta, 486 – Centro

“NEVER STOP THE MUSIC”

@jehvias

Novidades em São Paulo Não Quer Ser Cinza.

Confesso que andei meio distante de tudo que se tratava deste blog, pois eu e a minha linda @jehvias estavamos com muitas idéias em mente e ainda precisavamos saber se tudo daria certo, ou se valeria a pena tentar arriscar.

Bom, eu vou dar uma pequena prévia do que têm por vir. Estamos passando por algumas mudanças e nossos leitores podem notar logo de cara, por causa da nova face do blog.

Teremos uma coluna sobre música, onde o Fábio Nasci @FabioNasci , baixista das bandas:

Nenê Altro e o Mal de Caim [ http://tramavirtual.uol.com.br/artistas/nene_altro_&_o_mal_de_caim ] e

Cabaret Metro [ http://tramavirtual.uol.com.br/artistas/cabaretmetro ], escreverá sobre musica, sobre eventos e agendas para o final de semana em São Paulo.

Faremos um post sobre a marca de Camisetas I Saw @isawguy , e até que este post saia, vai rolar a seguinte promoção:

Vamos postar a nova coluna de música, e continuar com os posts que falam sobre São Paulo, e os leitores que comentarem nas duas colunas já estarão participando automaticamente. Vamos sortear um kit com camiseta e adesivo com o logo da marca. O resultado sai quando o post sobre a marca sair.

Então, temos que ajudar na divulgação e espero que vocês curtam as novas mudanças. Agora que o Fábio faz parte da moderação do blog, espero que ele seja bem recebido também.

Basicamente acho que é isso. Fiquem ligados que amanhã mesmo sai o primeiro post na coluna de música. Então quem comentar já tem o nome na lista dos participantes da promoção da I Saw.

Spinelli Détachez.

Maiores informações em:

https://saopaulonaoquersercinza.wordpress.com/regulamento-da-promo-i-saw-wear/

O transporte público e o trabalho em São Paulo.

O Marcelo Felix, @CeloHate me deu uma super idéia para postar hoje. E eu sai por ai pesquisando com alguns amigos como é trabalhar em São Paulo.

O que tem de bom, o que tem de ruim, o que acalma e o que estressa. Tudo que São Paulo tem na área de trabalho. É basicamente a visão de pessoas que usam o transporte público e outras que não.

Então eu fiz algumas perguntas, e vou postá-las aqui, para mostrar o quão interessante e estressante pode ser o trabalho em São Paulo. A começar pelo próprio Marcelo.

SPNQSC – Você usa o transporte público para trabalhar?

Marcelo – Não, eu moro a 5 minutos de onde eu trabalho.

SPNQSC – O que mais te irrita no seu trabalho?

Marcelo – Gente folgada e sem educação.

SPNQSC – Não passa pela sua mente que essas pessoas também estejam estressadas, e buscando algum tipo de diversão, visto que você trabalha em uma lan house?

Marcelo – Uma pequena parte até levo em consideração, mas tem algumas pessoas que são folgadas mesmo. Algumas com tom autoritário, e isso irrita.

SPNQSC – O que você costuma fazer para que a rotina não te deixe estressado?

Marcelo – Durante a semana não tem muita opção, eu leio, assisto filmes, escuto música.

SPNQSC – Você acha vantajoso não utilizar o transporte público para ir ao trabalho?

Marcelo – Sem dúvidas é muito vantajoso. Acho que a parte mais estressante é o transporte público.

SPNQSC – Porquê?

Marcelo – Por que é um lugar super lotado, onde tem muitas pessoas cansadas e estressadas e isso deixa mais pessoas estressadas. Fora que o transporte anda que só por Deus.

SPNQSC – Você se refere ao ônibus e ao trêm também?

Marcelo – Na maioria dos lugares os dois são ruins.

SPNQSC – Você acha então que tem sorte por morar perto de onde trabalha e de não ter a chance de se deixar estressar durante seu dia de trabalho?

Marcelo – Ah sem duvida eu tenho sorte. Acho que a maioria das pessoas
daria tudo pra morar perto do trabalho pra se estressar menos.

Por Paula Silva. @ana_pjs

SPNQSC – Quais os tipos de transporte público você usa para chegar ao trabalho?

Paula – ônibus, trem, metrô.

SPNQSC – Quanto tempo você leva para chegar até lá?

Paula – 2 horas quando está difícil. Quando não tá eu levo 1 hora e 40 minutos.

SPNQSC – E isso te deixa estressada?

Paula – Não. Eu gosto de pegar transporte público, só me estressa quando esses transportes não cumprem o horário. Ou seja, estou quase sempre estressada.     

SPNQSC – Então o que estressa não é ter que usar o transporte público e sim os atrasos que o mesmo causa?

Paula – Exatamente. Porque é absurdo pagar essas tarifas monstras e não ser respeitado, sendo que o governo sabe que a maioria da população usa esses transportes para trabalhar. E a gente não pode chegar atrasado no trabalho…

Por Jéssica Vias. @jehvias

SPNQSC – Quando você trabalhava, usava o transpote público?

Jéssica – Sim.

SPNQSC – Quais?

Jéssica – Ônibus e trem.

SPNQSC – Quanto tempo você levava da sua casa até a empresa?

Jéssica – Levava 1hr e meia, sendo que moro em Poá e trabalhava no Brás.

SPNQSC – Te estressava saber que levaria em media 1h e meia para chegar num lugar tão perto da sua casa?

Jéssica – Com certeza, acho que o governo possui verba o suficiente para melhorar a qualidade do meio de transporte, esse percursso poderia ser feito em apenas meia hora, é estressante ficar dentro de um transporte público cheio de gente amontoado! E revoltante também ter que pagar o absurdo que é o valor da condução hj em dia, para não ter o mínimo de conforto!

SPNQSC – O seu trabalho em si, era estressante?

Jéssica – Meu trabalho até que nem tanto pois considero a Contax uma empresa boa.

SPNQSC – Mas o fato de você estar estressada logo de manhã, por causa da ida ao trabalho, não te deixava com sangue nos olhos para trabalhar?

Jéssica – O percurso até o serviço era realmente muito estressante, tanto que logo de manhã eu nem falava muito com ninguém para evitar ser ríspida com as pessoas, porque além do estresse da condução as cores caóticas da cidade também contribuiam muito para o tédio!

SPNQSC – Na sua ida ao trabalho, o que você definiria como “Cores Caóticas”?

Jéssica – As cores que te deixam deprimido por exemplo o cinza da poluição e dos muros da cidade.

SPNQSC – O cinza e o caos, literamente juntos?

Jéssica – Basicamente o caos e o tédio que proporcionam estresse logo cedo na hora de trabalhar!

SPNQSC – E as pessoas que trabalhavam com você?

Jéssica – Posso afirmar que todas eram desmotivadas e não tinham vontade de ir trabalhar reclamando da condução lotada e do stress do percurso.

SPNQSC – Na sua opinião seria melhor se todos pudessem trabalhar perto de casa ou que o transporte público melhorasse?

Jéssica – Acho que o transporte público deveria melhorar.

SPNQSC – E como você acha que isso poderia ser feito visto que temos hoje duas novas estações de metrô na zona sul, a Butantã e a nova Pinheiros?

Jéssica – Para mim essas estações foram feitas exclusivamente para burgueses visando a copa de 2014, e acho que a melhoria deveria ser feita principalmente no percurso da zona leste que é um local de pouco acesso, deveria diminuir o tempo, melhorar as estradas e linhas de trem

SPNQSC – Você está falando da CPTM da zona leste?

Jéssica – Sim, visto que utilizava o trem para chegar até o trabalho, mas também tem as linhas intermunicipais que são horríveis na minha opinião.

Por Paloma Silva. @PaalomaSilva

SPNQSC – Seu trabalho é estressante?

Paloma – Sim de vez quando é porque é telemarketing.

SPNQSC – Você usa transporte público?

Paloma– De vez em quando porque o serviço é perto de casa.

SPNQSC – E quando usa quanto tempo leva para chegar?

Paloma – 10 min + uma pequena caminhada, rapido até.

SPNQSC – É onibus?

Paloma – Sim.

SPNQSC – Você acha bom morar perto do trabalho?

Paloma – Acho,porque sei que tem pessoas que dão um super rolê para chegar até o delas.

SPNQSC – Então de manhã não tem nada que te estresse até chegar ao trabalho?

Paloma – Posso dizer que sim.

SPNQSC – E você gosta do que faz?

Paloma – Gosto de trabalhar com pessoas, mas levar alguns desaforos faz com que eu desgoste de vez em quando.

SPNQSC – Você se refere às pessoas que trabalham com você ou aos clientes?

Paloma – Ambos. (risos).

Por Cristiane Torres. @torres_cris

SPNQSC – Quanto tempo você leva da sua casa ao seu trabalho?

Cristiane – 2 horas.

SPNQSC – Te irrita você morar tão perto do trabalho e levar tanto tempo para chegar ao trabalho?

Cristiane – Claro.

SPNQSC – Porquê?

Cristiane – Porque é ridículo morar tão perto, pagar um absurdo de passagem, pegar o ônibus lotado e ter que ficar dentro do mesmo quase 2 horas.

SPNQSC – Seu trabalho em si, é estressante?

Cristiane – O trabalho não, mas sim as pessoas que trabalham comigo.

SPNQSC – O que mais te irrita, levando em conta as pessoas com quem trabalha?

Cristiane – A falta de comprometimento das pessoas com a empresa.

SPNQSC – No caso, é estressante no trabalho as pessoas não terem o comprometimento com a empresa e ainda reclamarem?

Cristiane – Exatamente isso.

Estes foram os depoimentos de algumas pessoas que usam o transporte público para ir trabalhar e que se estressam com a rotina de serviço, mas se divertem nesta linda cidade onde oferece tantas oportunidades de crescimento.

Spinelli Détachez.

Possível exclusão de São Paulo na Copa das Confederações.

Bom o assunto de hoje é sobre a exclusão de São Paulo na copa das confederações, um evento que rola antes da Copa do mundo, então a @Detachez pediu para que eu e a @doracelestino compartilhassemos nossa visão, e queremos que vocês também exponham suas opiniões. O texto ficou grande pois as três escreveram um pouquinho do que sabem para mostrar a vocês e confesso que li e achei muito interessante às opiniões das meninas, vale a pena conferir!

Por: @doracelestino.

Quando a Nanda e a Jeh Vias, me pediram uma ajuda para falar sobre futebol pensei ‘Opa, disso ai eu entendo’, então vamos lá. Primeiro lugar para quem não sabe, sou corinthiana fanática e apaixonada por futebol.

Tema difícil esse, a exclusão da cidade de São Paulo da Copa das Confederações, se for falar em estrutura, lógico que a cidade tem estrutura para receber uma competição desse porte, isso é, se preparando com certa antecedência, se não será instalado o caos por exemplo, transito em todo e qualquer meio de transporte da cidade, mas isso não anula a idéia de que São Paulo tem total capacidade de se organizar para realizar esse evento, esse pode ter sido um dos fatores dessa exclusão na Copa das Confederações, daria a São Paulo um tempo maior de preparo, afim de que a cidade não pare na hora de receber os jogos.

Não vejo como tragédia, nem catástrofe a exclusão da cidade nesse momento, até porque a cidade não possui um estádio sequer com estrutura adequada para receber os jogos, o Palestra está em reforma, o Pacaembu é pequeno, o estádio do Corinthians ainda está começando a sair do papel, no Morumbi, que é o único lugar que teria chances de ganhar essa briga não tem estádio e as redondezas não permitem a criação de estacionamentos, dado que o estádio fica num bairro residencial e cercado por construções que se seguiram após a sua fundação, isso sem contar a falta de estrutura do Canindé, do Bruno Daniel, do Anacleto Campanella, do Brinco de Ouro, da Vila Belmiro e de tantos outros espalhados pelo interior do estado. A falta de um local para as partidas de futebol a primeiro momento é o que demonstra um motivo para este descarte, já que o estádio do Palmeiras e o do Corinthians não estarão 100% prontos na data dos jogos.

Entrando no campo político da historia a meu ver faltou um pouco de empenho de políticas de incentivo para trazerem esses jogos a cidade, ouço muita gente dizer que o dinheiro que será gasto com os jogos e afins deveria ser utilizado com o povo e blá blá blá… Não tiro e nem dou total razão para quem o diz, para mim a política de incentivo e de marketing que tem para uma cidade sediar os jogos de uma Copa das Confederações, de uma Copa do Mundo, é uma forma de entrar mais dinheiro nos cofres públicos da cidade, forma de empregar pessoas e dar oportunidade para todos, sem contar que toda essa estrutura de um melhor sistema rodoviário de transportes ficará para nosso uso depois da copa. Até concordo que é um absurdo ter que esperar um evento desses vir para nossa cidade (e estado) para que as autoridades tomem uma atitude perante a todo esse caos, mas vamos agradecer que ele está vindo, se não daqui uns dias São Paulo vai parar. Fazendo uma busca rápida você pode ver que em média um turista gastou R$11.400 na Copa da África do Sul (que ficou conhecida como Copa da África), temos que pesar todo o leque de diversidade cultural que “Sampa” tem, afinal um turista de copa do mundo, não vem exclusivamente pela copa do mundo, mas também aproveita a viagem para conhecer outros lugares, possíveis roteiros de viagem, enfim, a copa, tanto a das confederações como a do mundo, é a oportunidade que temos de melhorar ainda mais a nossa cidade, ter uma melhora no transporte, turismo, renda, e tudo o que mais uma copa pode proporcionar a uma cidade e a um país.

Voltando ao futebol, como já disse isso não será uma tragédia, e sim a oportunidade que tempos de nos organizar e fazer com que os jogos em São Paulo sejam os mais perfeitos e estruturados que alguém possa imaginar. Que venha 2014.

Por: @Detachez

“Precisamos de quatro sedes para a competição. Não é tão trágico São Paulo ficar de fora”. Palavras de Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa.

Como assim não é tão trágico? A Copa do Mundo em 2014 será aqui no Brasil, e o evento-teste será feito, obviamente aqui, e deixará a maior cidade do país de fora? Mas isso não pode ser sequer taxado de trágico, seria mais como uma catástrofe.

São Paulo sendo a maior cidade do país, onde se concentram os times mais importantes do futebol brasileiro, ficar de fora deste evento, não seria uma perda apenas para o time do Corinthians, como para a torcida e para todos os outros investidores dos times: Palmeiras, São Paulo e Santos.

A cidade com toda a sua grandeza, deveria ser levada mais a sério, em vista de não ser tão violenta como Rio de Janeiro e ter o melhor metrô do mundo, não pode ficar de fora do evento que antecede a Copa do Mundo.

Não que isso me agrade muito, trazer a Copa do Mundo, um evento rico, feito por e para burgueses mostrarem seu poder, mas deve-se levar em conta que não tem nexo, não existe lógica que expresse a falta de inteligência do governo brasileiro em dar mais atenção ao Rio, não desmerecendo a cidade, que em 2016 vai receber as Olímpiadas, talvez o maior evento esportivo do mundo, tão maior quanto a Copa, e deixar que essa gafe ocorra diante do mundo inteiro.

Não ter estrutura para receber um evento como a Copa das Confederações, é mostrar que o Brasil, não tem capacidade para trazer a Copa do Mundo, e ainda por cima, na minha humilde opinião, um crime contra a cidade de São Paulo, deixando-se permitir que a cidade fique de fora da “pré Copa”.

Por: @jehvias

Bom o assunto futebol nunca me agradou, pois não gosto deste esporte e vejo que hoje ele se tornou mais uma forma de manipular o poder pelos burgueses, principalmente a copa do mundo, visto que estamos falando em milhões de reais gastos com simples jogos. Claro que há um outro ponto de vista que foi citado anteriormente pela Dora, que consiste no aumento de empregabilidade em épocas como essas e contribui bastante com o turismo no país, porém não podemos ser céticos com tanta beleza e esquecer que o Brasil é visto como terra dos macacos pelos gringos. Sinceramente para mim é indiferente falar sobre qual estado deveria ser incluso na copa das confederações, porém como sou paulistana vou puxar sardinha para meu estado e cidade natal.

Dentre todas as cidades posso dizer que SP não tem um índice de criminalidade tão alto quanto RJ, porém como já sabemos não tem-se um estádio bem estruturado para receber um evento desse porte em nossa cidade, o que contribui e muito para a sua exclusão nos jogos que antecedem a copa do mundo.

Pelo que li nos principais sites que abordam o tema o presidente da federação, Joseph Blatter declarou estar apreensivo pois o Brasil parece estar atrasado com os preparativos para a Copa de 2014, eu achei esta afirmação absurda, pois ao meu ver os preparativos englobam uma melhor estruturação na cidade em questões de transporte público e segurança, coisa que já deveria existir a muito tempo, sem a necessidade de ter que trazer um evento mundial para o país mostrar que não é mais de terceiro mundo.

Enfim esta é a minha singela opinião sobre o assunto, e a minha intenção não é levantar questões políticas e nem nada. Só mostrei minha visão sobre o evento e respeito todas às opiniões divertes à minha, gostaria de pedir também para que vocês comentassem sobre suas opiniões para vermos o que a maioria pensa sobre este tema.

Jeh Vias.

#Stickers: essa arte cola!

Por Jéssica Vias. @jehvias

Há algum tempo a Jeh estava me devendo este post. A gente andou conversando internamente, num chat bem bacana, com as moderadoras do blog, só faltou a @JeehAvelino

A conversa era sobre um sticker que vamos fazer para divulgar o blog, e eu lembrei que a Jeh me devia um post com fotos tiradas por ela mesma, de stickers lançados por São Paulo.

Eu quero agradecer, porque cada post que não é feito por mim é um presente. E este foi mais um.

No dia 14/04/11 o Michel e eu estávamos indo para a Barra Funda, porém no meio do caminho me deu “aloka” e pedi para descermos no centro. Como não tinha nada para fazer resolvemos tirar fotos de artes de rua que achássemos interessante, me veio então à ideia de fotografarmos os stickres.

São adesivos geralmente colados em locais de fácil visão na cidade de São Paulo. É uma arte urbana popularizada nas décadas de 80/90 e muito utilizada pela galera do skate e do graffite, criada como método de manifestação.

Em São Paulo a cena começou a ser reconhecida somente em 2003/04 com as intervenções de Birita, Projeto Chã, Lambdalambs, SHN e outros que também se apropriaram de outra forma de colagem chamada “lambe-lambe” assim como Shepard.

Shepard Fairey foi o designer criador da imagem mais famosa da campanha politica de Obama.

Essa foto ao lado mostra uma lixeira que fica em uma travessa da Rua 24 de maio, o interessante da foto não é apenas o sticker, mas também as pichações, que mostra mais de uma forma de manifesto.

Além de apontar críticas o adesivo também é um método de “quebrar” o cinza de São Paulo por suas cores e desenhos bem originais.

Esses tipos de adesivos são facilmente encontrados nas grandes metrópoles do mundo, e seus desenhos e frases são desenvolvidos a mão livre, por técnicas de Silk Screen, Stencil e podem ser produzidos em gráficas também.

Muitas pessoas passam por eles o tempo todo sem se darem conta de que estão lá como forma de mensagens passadas por pequenos adesivos, então é interessante parar para percebê-los e ver que tiram a cidade da rotina de cores tristes.

Geralmente estão visíveis em postes, paredes e placas, no centro da cidade de São Paulo, porém devido à poluição e outros fatores, o sticker saí um pouco do que se espera de uma estética visual e acaba ficando assim:

Essa placa fica na própria Rua 24 de maio e dá para perceber como a poluição destrói um pouco a imagem do adesivo né?

Portanto acho que a foto também é válida para dizer que devemos cuidar um pouco mais da nossa cidade e levando em consideração o tema deste blog é interessante passar para vocês que podemos evitar a poluição, e qualquer forma de contribuição é válida.

Eu tomei a liberdade de procurar uma foto do Shepard Fairey.

Spinelli Détachez.

Qual é o seu lugar?

Por Fernanda Détachez. @Detachez

Eu fiquei pensando neste post… Sobre o que postar? …Fiquei tão perdida esses últimos dois dias, meio sem norte, sem saber para onde ir, para onde correr.

Então me lembrei do filme 12 é demais, que eu curto muito, porque conta a história de um casal que teve 12 filhos, uma família grande onde todos são diferentes, cada um tem seu modo de ser e agir, e me lembrei de uma cena no final bem bacana, onde a filha mais velha diz ao pai que o irmão que sumiu poderia ter pego um trem para o lugar onde ele MAIS AMAVA NO MUNDO.

É eu me senti meio perdida nesses últimos dias… então hoje vou falar sobre um dos meus lugares favoritos em São Paulo.

A Galeria do Rock.

A Galeria do Rock é um conglomerado de 450 estabelecimentos comerciais, sendo 190 dedicadas ao mundo do rock. São vendidos CDs, discos, vídeos, camisetas, acessórios, bandeiras, pôsteres e itens de decoração. Há também estúdios de piercing e tatuagem e sedes de fã-clubes, como o Magical Mystery Tour (Beatles), Sepultura, e Raul Seixas. Os outros são lojas de roupas, estabelecimentos de serigrafia, salões de cabeleireiros, oculistas, alfaiates, etc.

O prédio onde hoje se encontra a Galeria foi fundado em 1963, com o nome de Shopping Center Grandes Galerias, um centro comercial diversificado onde em sua maioria era composto por salões de beleza, locais que realizavam consertos de TVs e outros.

No final dos anos 70, o edifício passou a ter uma “invasão” de lojas de disco voltadas principalmente para o rock, comandada pela loja Baratos Afins, a primeira que se instalou por ali.

A cultura de rua e o hip hop também têm seu espaço no térreo e subsolo.

Foi projetada pelo arquiteto Alfredo Mathias que emprestou o seu excepcional talento em cada detalhe arquitetônico. Mathias também foi o responsável pelo projeto do conhecido Shopping Iguatemi, primeiro shopping Construído no Brasil e o majestoso Palácio Anchieta (onde se aloca a Câmara Municipal da Cidade de São Paulo), Portal do Morumbi entre outras dezenas de obras no País.

A Galeria  chama a atenção pelo seu formato ondulado, inspirado no edifício Copan. Devido ao fato de possuir um grande número de estabelecimentos voltados para o público que gostava de rock, o Shopping Center Grandes Galerias foi apelidado de Galeria do Rock.

Essa revitalização do espaço deve-se principalmente ao seu administrador e presidente do Instituto Cultural Antonio de Souza Neto (conhecido pela alcunha de ‘Toninho da Galeria’) que, diante das condições que enfrentou no início de sua gestão, foi qualificado de “Santo milagreiro” pela imprensa e pelos lojistas.

Antonio que além de fotógrafo, jornalista e sociólogo, aplicou-se com obstinação em sua tarefa de remodelar e emprestar ao lugar o prestígio de que hoje desfruta. Hoje, o panorama é diferente: valorizada pela maravilhosa arquitetura original, 20 mil pessoas por dia circulam entre corredores limpos e com segurança.

Fonte: http://www.galeriadorock.org.br/site/

Algumas das fotos foram tiradas por mim em uma das minhas visitas mensais à Galeria que inclusive já apareceu em uma das novelas globais, Tempos Modernos.

A novela teve como espaço para as locações os andares da Galeria e até que mostrou uma parte bem bacana das coisas que a Galeria oferece, ela foi escrita por Bosco Brasil. O núcleo que mais aparecia pela Galeria era o da familia de Ramon Piñon, feito por Leonardo Medeiros, na trama o cara era um roqueiro clássico que tinha dois filhos com uma ex roqueira cantora de música clássica, Benedita Kusnezov Piñon, feita por Alessandra Maestrini.

Os filhos levavam nomes de personagens famosos do rock, a menina se chamava Janis Piñon, e era feita por Aline Peixoto e o menino se chamava Led Piñon, feito por Guilherme Leicam.

Foi bem bacana a participação da Galeria na novela, porque mostrou que o rock ainda sobrevive e pelo menos em São Paulo tem vez. Espero poder dividir com vocês as experiências porque a Galeria do Rock é um dos meus lugares favoritos no mundo.

Spinelli Détachez.