Não existe amor em SP?

Acordo todos os dias, exceto os dias que estou de folga, pensando em sair, para o frio ou para o calor, e chegar lá, no lugar onde todos são um, e de repente todos são tão diferentes. Eu sinto o cheiro do ar quente, com meu rosto brilhando, já que dizem que mulheres não suam, mas brilham. Fico parada um tempo, sob o vidro da estação de metrô.

Olhando as pessoas, os lugares. Eu gosto de tudo mais no frio, ultimamente. Não brilho, e o vento cheira melhor. Não sei explicar. Sempre gostei mais do verão. Mas o inverno tem sido menos cruel. Mais delicioso. E lá estão as pessoas. O trabalho, o conhecimento.

Se eu pudesse gritaria aos sete cantos o quanto eu te amo. Mas quem não sabe? Eu fico boquiaberta olhando os arranha-céus. As árvores balançando e a chuva caindo. Ah, como eu te amo. Te amo tanto. E acho que já vale o meu amor, quando ninguém mais te amar.

E é isso que me importa.

♥

 

Spinelli Détachez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s