O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui!

#O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui

Capa do álbum.

Capa do álbum.

Olá amigos. Recebi uma missão da minha chefa, resenhar o novo álbum do Emicida, “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui”. Embora eu não seja fã do estilo musical, e nem o conheça tanto, tentei descrever pelo que ouvi do trabalho.

O novo álbum do Emicida (que pasme você, é o primeiro de estúdio), lançado semana passada pela gravadora do cara, a Laboratório Fantasma.

Emicida recentemente fez uma turnê junto com Criolo, que foi muito boa, e o que dá para se notar, é que teve certa influência dessa mistura em seu álbum.

O álbum conta com uma mistura de estilos, de letras e musicais, faixa a faixa. Em “Trepadeira”, fala-se sobre uma mulher fácil, o que até causou polêmica (desnecessária) com defensores feministas. Em “Samba do Fim do Mundo”, nota-se um agradável samba de raiz. Em “Nóiz”, o que se destaca são as flautas  (que me parecem aqueles sons de flauta indígena).

“Hoje Cedo” com participação da roqueira Pitty, é o tipo de música que deveria virar single, e tocar nas rádios jovens. Bela participação da musa.

Me surpreendi com duas faixas do álbum: “Hino Vira-Lata”, com o grupo paulistano de samba Quinteto em Branco e Preto, e Gueto, com o funkeiro MC Guimê. Tive uma resposta mais positiva do que imaginei ter sobre essas músicas.

Emicida.

Emicida.

O álbum ainda tem mais participações: Rael da Rima, em Levanta e Anda; Tulipa Ruiz e Estela Vergílio em Sol de Giz de Cera; Rafa Kabelo em Alma Gêmea e Fabiana Cozza e Juçara Marçal em Samba do Fim do Mundo.

No geral, é um álbum que, por ser de um artista que não acompanho muito, me causou até alguma reação surpreendente. Fica aqui o registro: Vale a pena comprar.

 

@BrunoRodri_

 

Texto por Bruno Rodrigues. Edição e fotos por Spinelli Détachez.

Logo menos.

Logo menos.

Anúncios

Novidades.

Caros leitores, venho através deste post dizer que, vamos ter novos posts até o começo de Dezembro. Vou ampliar a gama de postagens pois comecei a fazer um curso de jornalismo e pretendo trazer novidades, não só de acordo com o curso, mas para relembrar a ideia inicial do blog.

Fazer com que todas as pessoas saibam que São Paulo Não Quer Ser Cinza…

São Paulo Não Quer Ser Cinza.

São Paulo Não Quer Ser Cinza.

Atenciosamente,

Spinelli Détachez.

Leitores Recomendam!

Hoje o “Leitores recomendam” vai por conta do @BrunoRodri_ que cuida da “Coluna de Música”.

Hangar 110

Hangar 110

Olá leitores!

Hoje, resolvi falar de um templo sagrado da nossa amada cena Underground.

Falo do meu, do seu, do nosso HANGAR 110.

Fundado em outubro de 1998, o Hangar 110 é um casa de shows localizada na zona norte de São Paulo. Talvez seja a principal casa de shows do cenário Underground no Brasil. Por lá já passaram bandas nacionais do calibre de: Sugar Kane, Fistt, Dead Fish, Dance of Days, Raimundos, Forfun, entre outras. Já no histórico internacional, constam bandas como No Fun At All, T.S.O.L, No Use For a Name, CJ Ramone e por aí vai (No site constam todas as bandas que já passaram por lá. Sugiro conferir*).

Hangar 110

Hangar 110

O que favorece muito o rolê são os arredores. A casa fica na Rua Rodolfo Miranda, 110, muito próxima da estação Armênia do metrô. Pra quem perdeu o último trem e não tem como voltar, tem hotel na mesma rua (um pouco caro, é verdade). Sempre rolam algumas barracas de lanches e bebidas antes dos shows, pra dar aquela calibrada.

O Hangar ainda promove o Skema 110. Um sistema que colhe materiais de bandas que estão começando, e (claro, conforme a qualidade do som) as encaixa nos eventos da casa. É um importante incentivo para que a cena Underground não morra jamais.

Essa é a minha recomendação de role em nossa amada SP. O Hangar 110.

Colem, apreciem, endoidem.

Hangar 110

Hangar 110

*Site do Hangar 110: [ http://www.hangar110.com.br ]

Página no Facebook: [ https://www.facebook.com/hangar.musicaecultura?fref=ts ]

Edição por Spinelli Détachez. Fotos: Divulgação.

Ônibus.

Olá leitores.

Deixo a coluna de música de lado para falar um pouco de um assunto importante de nossa amada São Paulo: O preço da passagem de ônibus. Aquele mesmo, da série de protestos.

Um estudo feito pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e apresentado ao prefeito Fernando Haddad mostrou que há uma maneira de subsidiar os investimentos no transporte público, mas isso teria um custo um tanto quanto salgado para quem não utiliza o transporte público: A gasolina teria um aumento de 0,50 por litro.

A questão é: Vale a pena deixar o carro em casa para andar de busão?

Ônibus.

Ônibus.

Tenho pra mim que o ideal era minimizar o uso do carro, onde em média 3 pessoas são transportadas, e priorizar o uso do transporte coletivo. No horário de pico, um ônibus em São Paulo consegue facilmente ter umas 70,80 pessoas.

A prefeitura tenta colaborar, instalando corredores exclusivos para os ônibus (“instalar” é meramente força de expressão. Simplesmente foi a conversão da faixa da direita em exclusiva para coletivos em determinado horário). Mas isso acaba causando ainda mais congestionamento nessas vias.

O ideal seria o uso do ônibus, mas além dos corredores, que benefícios temos? Ônibus extremamente cheios e sujos?

Temos que ter incentivos para usar o transporte coletivo, e não me refiro apenas à tarifa. Qual benefício traz pegar o ônibus às 7h, extremamente lotado, com motoristas sem o menor bom-senso?

Lotação.

Lotação.

Se a prefeitura acha que diminuir o valor da tarifa do ônibus, e aplicá-lo na gasolina vai trazer benefícios em longo prazo, talvez perceba que este pode ser um pensamento errado.

Resta a nós, cidadãos, ficarmos de olho no que isso pode causar. E se percebermos algo errado, vamos à rua novamente.

@BrunoRodri_

Edição e fotos por Spinelli Détachez.

Anima Mundi 2013.

Anima Mundi 2013.

E começa hoje, aqui em São Paulo, a 21ª edição do Anima Mundi, um dos maiores eventos de animação mundial. Por aqui, vai ficar até dia 18 e logo depois, corre outras cidades do Brasil, exceto Rio de Janeiro, no qual ficou de 02/08 a 11/08.

Com atividades entre filmes e papo animado, o Anima Mundi tem uma programação imensa, espalhada por toda a cidade de São Paulo. Vale super a pena colar e conhecer o trabalho de artistas renomados e “desconhecidos”.

Segue evento no faceboom com boa parte da programação e locais:

https://www.facebook.com/events/589215961129385/?suggestsessionid=1fb7aa5b0e19d93e0963a7c7d9d4f823

E site oficial do evento:

http://www.animamundi.com.br/pt/festival/

 

Spinelli Détachez.

Covers.

Por @BrunoRodri_

E aí leitores.

Hoje, em decorrências de tempo, pensei em uma coisa rápida, mas que agrade. Será um post aleatório. Um top 5. Como já disse aqui, vivo procurando coisas novas para ouvir. E uma das coisas que eu gosto de descobrir são os covers. Aqui vão minhas 5 músicas (em nova roupagem) favoritas.

5 – Rolling in the Deep (Adele) por Go Radio:

4 – Man Down (Rihanna) por Forfun:

3 – Last Caress (Misfits) por NOFX:

2 – Bohemian Rhapsody (Queen) por Nevershoutnever!:

1 – I Believe in Miracles (Ramones) por Eddie Vedder :

E é isso aí. Aproveitem!

Edição de texto por Spinelli Détachez.

Projeto Blues Pela Vida.

Por @ellenDetachez

Projeto Blues Pela Vida V

Projeto Blues Pela Vida V

O Projeto Blues pela Vida está sem eu 7° ano de vida e sua edição de número V (cinco) que, com certeza será um sucesso como as anteriores. O Projeto foi Idealizado em 2007 por Cláudio Medeiros (Banha), um barman apaixonado por Blues e com espírito solidário. O Projeto Blues Pela Vida começou contando apenas com a iniciativa de um grupo de amigos e músicos do cenário do R&B.

O objetivo de todos era a realização de um show beneficente para apoiar a causa social de uma Instituição Filantrópica. Porém, ao longo desses anos, o projeto ganhou contornos diferenciados, conquistando novos voluntários e um público fiel que deseja dedicar um pouco de suas vidas em ajudar ao próximo.

Em 2013 o Projeto Blues Pela Vida está de volta, determinado a realizar mais um evento inesquecível. Mas um trabalho desse exige muita responsabilidade e colaboração. Este ano o evento será realizado novamente na Escola de artes de Osasco, tendo como instituição beneficiada o APNESOR – Associação dos Portadores de Necessidades Especiais de Osasco e Região – que é uma entidade social sem fins lucrativos e atende pessoas com diversas deficiências: síndrome de West, funcionamento intelectual significativamente abaixo da média, paraplegia, paralisia infantil ou cerebral, deficiência visual, síndrome de Down e outros.

Projeto Blues Pela Vida V

Projeto Blues Pela Vida V

O Trabalho do Projeto também proporciona ao público de bom coração, uma tarde com boa música e boas atrações culturais, tudo pela solidariedade.

SPNQSC: No inicio do projeto, o intuito era motivacional próprio ou a total vontade de mudar o que se tem de errado na cidade?

PBPV: Também era vontade de mudar o que acontece com a cidade.

SPNQSC: A primeira edição do “PBPV” foi no ano de 2007. A ideia já vinha sendo debatida a algum tempo?

PBPV: A ideia surgiu no dia do meu aniversário, O que me fez criar a ideia foi ver o filme do blues brother que fazia um show beneficente para ajudar instituição que eles moravam, e veio a ideia de fazer um show beneficente.

SPNQSC: O Projeto esteve parado nos anos 2009 e 2010. Para mim, uma nova fã do projeto, ficou uma incógnita, uma curiosidade desses 2 anos terem passado em branco. Foi imposta alguma barreira pela cidade ou órgão público?

PBPV: Nsses dois anos o  projeto não aconteceu por que fiquei fora da noite, e meus contatos maiores eu só via quando trabalha nos bares de blues, ai como fiquei fora das baladas acabei meio desanimando, mais nunca desistindo.

SPNQSC: Qual foi a principal barreira a ser vencida em todos esses 7 anos de “PBPV”?

PBPV: Acho que sempre vamos ter umas barreiras pela frente, porque não somos instituição formada, isso afasta muito os empresários pelo fato de não podermos emitir nota fiscal. Mas isso nunca vai ser um problema porque graças a DEUS sempre que a gente consegue a gente quer porque nossos gastos estão abertos para quem quiser ver e conferir.

SPNQSC: Tem alguma forma de ajudar o Projeto Blues Pela Vida fora o dia do show?

PBPV: Acho que a divulgação do propósito de nosso evento for conhecido por mais gente melhor é. É claro que se tivermos mais apoios de empresários, mais instituições conseguimos ajudar e não só uma, ou mesmo fazer mais eventos por ano…

Projeto Blues Pela Vida V

Projeto Blues Pela Vida V

Projeto Blues Pela Vida Edição 2013.
Data: 25 de Agosto de 2013.
Local: Escola de Artes César Antonio Salvi, Osasco.
Endereço: R. Tenente Avelar Pires de Azevedo, 360, Centro Osasco. Telefone: (11) 36851648.
Horário: das 14h às 20h.
Atrações: Bandas de Blues, Rock’n Roll e atividades culturais.
Entrada: Ingressos antecipados a R$15,00 e R$20,00 no dia do evento.

Página no Facebook [ http://www.facebook.com/projeto.bluespelavida?fref=ts ]

Texto por Ellen Fialho. Edição por Spinelli Détachez. Fotos da página do projeto no facebook.