461 anos de muito, mas muito amor.

São Paulo em 1554

São Paulo em 1554

Nasci em Osasco, grande São Paulo no dia 19 de Janeiro de 1988. Este foi o ano que o Brasil jornalístico se viu livre finalmente da ditadura militar, com o fim da censura e da tortura a partir da Nova Constituição. Fiquei em São Paulo até completar os quatro anos de idade. Meus pais não tinham condições para criar duas crianças (eu e meu irmão), então nós nos mudamos para a casa da minha avó, numa cidade chamada Passagem Franca, no Maranhão. Só voltamos para cá em 1996, final do ano.

Desde então, posso dizer que, meu amor por esta cidade só aumentou. Desce criança ouço histórias que meus pais contam, sobre a aparência do centro velho, os lugares que não existem mais, padarias que serviam o café de todas as manhãs. Ficava pensando, imaginando e viajando pela São Paulo da minha infância. Não tive muito acesso como meus filhos têm.

Não consigo explicar porque sinto tanto amor por essa cidade. Porque a acho tão linda, tão acolhedora, terra da garoa, paulicéia do meu coração. E hoje eu planejo as histórias que vou contar para os meus filhos. Como, por exemplo, a antiga Led Slay, na Celso Garcia. Fecharam as portas e reabriram na Penha, mas nunca é a mesma coisa né? O bar do Kaká na Augusta trocou o lado da rua, ainda não fui conferir, mas vai saber.

Na cidade em que moro, muitos bares fecharam, casas de shows, e os shows independentes de rock nunca mais vieram para cá. Coisas que nunca mais serão as mesmas. Mas eu penso também que, cada lugar novo ganhará sua história. Histórias que só a cidade pode contar.

Cada rua, cada sebo ou brechó. Essa cidade é meu grande amor. Moraria em outros lugares, mas não trocaria esse amor por nenhuma outra cidade do mundo. Feliz aniversário meu amor, minha vida, minha terrinha da garoa.

São Paulo 2015

São Paulo 2015

Anúncios

27 coisas que eu aprendi em 27 anos.

Por @Detachez

Hoje, faço 27 anos, e tive a ideia de fazer algo diferente para compartilhar meu aniversário com meus amigos e leitores, mesmo durante minha ausência no blog. Listei 27 tópicos que resumem o aprendizado que tive durante minha vida. Espero que vocês gostem!

Foto por Ellen Fialho.

Foto por Ellen Fialho.

  1. A infância acaba antes mesmo de percebermos como é bom.
  2. Se você não corre atrás, não cai do céu.
  3. Cachaça não é água não.
  4. Amigos de verdade são aqueles que nem sempre passam a mão na sua cabeça.
  5. É sempre bom renovar o ciclo de amizade, mas mantendo os verdadeiros.
  6. Fazer faculdade e trabalhar faz com que o tempo voe.
  7. Homens não são confiáveis.
  8. Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo, e em Deus.
  9. Não é fácil cuidar de duas crianças sem pai.
  10. Ficar sem fone de ouvido durante uma viagem ao trabalho é horrível.
  11. Melhor que “amor para a vida toda” é ser independente.
  12. Quando temos a oportunidade de resolver algo do passado, devemos aproveitar.
  13. Perdoar o outro e a si mesmo é uma forma de libertação.
  14. Entregar-se de corpo e alma em tudo que fizer, mesmo que dê errado, vai render uma boa lembrança.
  15. Não demonstrar os sentimentos é uma maneira de privacidade que se aprende com o tempo.
  16. Ninguém pode dizer o que você pode fazer, se você quiser e lutar, você consegue.
  17. Nunca é tarde para conseguir realizar seus sonhos.
  18. Recomeçar é o ponto de partida para tudo aquilo que deu errado na sua vida.
  19. Usar aquilo que deu errado para construir algo que te proteja de cometer o mesmo erro é melhor que jogar indireta em redes sociais.
  20. Minha geração viu duas eras: a era que saíamos sem dinheiro e bebíamos com os amigos, conversando olhando nos olhos e a era pau de selfie e “qual é a senha do wi-fi?”.
  21. Nunca apague todas as fotos de uma pessoa em um acesso de raiva: o mundo dá voltas e você pode se arrepender por não ter o registro daquele momento.
  22. Não devemos acreditar plenamente em ninguém.
  23. Maior decepção é feita por nós mesmos: esperamos muito de quem não pode nos dar nada.
  24. Chega uma idade que precisamos provar de tudo para saber o que é bom e o que é ruim para nós.
  25. O tempo ensina que nossos pais tinham razão: não sabemos de tudo.
  26. Ter inveja não nos fará ser melhor que o outro.
  27. O tempo passa e não perdoa ninguém.Texto: Fernanda Saraiva.