“2 mostras de arte que você não pode perder!”

Por Mayara Moreno

•    Picasso e a Modernidade Espanhola.


A exposição realizada no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo (CCBB), trás cerca de 90 obras de Picasso e mais 42 artistas espanhóis. O intuito é mostrar a influencia de Picasso diante da arte moderna espanhola, seu percurso artístico e a relação com grandes mestres das artes como Gris, Miró, Dalí, Domínguez, Tàpies.
As obras vieram diretamente do museo nacional Centro de Arte Reina Sofía que se encontra em Madrid.
Devido a grande quantidade de publico,  as filas para visitação da mostra tem sido muito extensa e de período longe, com isso o CCBB organizou uma equipe educadora que realizara intervenções artistas com participação do publico da fila. O conteúdo das intervenções terão relação com a mostra, surge na fila um toureiro, uma dançarina de flamenco, o pai do pintor e Marie Thérèse, uma das mulheres de Picasso, (interpretada por atriz convidada), que conta a sua história e de outras musas do artista.
Há ainda opções para os visitantes cegos ou com baixa visão, por meio de peças táteis, que reproduzem de forma tridimensional obras do mestre do cubismo, um espelho Cubista, em que o visitante pode se ver como uma obra da exposição; transparências gigantes, que permitem transportar obras de Picasso para o cenário do centro de São Paulo; jogos em que as crianças precisarão buscar peças que formam quadros do artista; contações de histórias com bonecos.

Site para maiores informações AQUI.

Informações importantes:
Exposição gratuita de 05 de março até 08 de junho de 2015.
Horário de funcionamento: De quarta a segunda das 9h ás 21h.
Local: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – CCBB
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro São Paulo
Próximo a Estação Sé (Metrô – Linha 1 Azul e Linha 3 Vermelha).
Telefone: (11) 3113-3651 / (11) 3113-3649.

•    Volpi – Uma Homenagem

A exposição traz retrospectiva com 23 obras em têmpera sobre tela, cinco delas nunca expostas. A exposição é resultado de quatro anos de busca por obras de grande relevância do artista, disponíveis para a venda, nas melhores coleções privadas do país.
O projeto expográfico é de Pedro Mendes da Rocha e Paulo Venâncio Filho assina o texto do catálogo. As obras que nunca foram exibidas, e que poderão ser conferidas na retrospectiva, abarcam as três fases mais importantes do artista. São elas uma marinha de Itanhaém do final da década de 30, uma fachada de casas da década de 50, um São Benedito e uma Santa Luzia do início dos anos 60, além de uma composição de bandeirinhas do final dos 60.

Informações importantes:
Exposição gratuita de 30 de março até 8 de maio.
Horário de funcionamento: De segunda a sexta das 11h ás 18h.
Local: Paulo Kuczynski Escritorio de Arte
Alameda Lorena, 1661 – Jardim Paulista – São Paulo.
Telefone: (11) 3064-5355.

Anúncios

O que será do Rock?*

Em uma tarde monótona, potencializada pela falta de sistema, dois jovens conversam em suas mesas, esperando ter novamente condições de trabalho.
– Cara, vai no Monsters of Rock?
– Não, mano. Não vai rolar.
– Muito caro né? Eu também achei. Só vou pelo…
– (Interrompendo) Nem é isso. Eu é que não quero ir. Sempre as mesmas bandas…
– COMO ASSIM? TÁ LOUCO?
– É isso mesmo, cara. Pega os line-ups de festivais dos anos 90 aqui no Brasil. Também tinha o Ozzy, o Iron, o Kiss…
– Eu sei, mas não deixa de ser bom.
– Claro que não deixa. Isso jamais! Mas cara, eu já vi o Motorhead. Também já vi o Ozzy, com ou sem o Black Sabbath. Já vi Iron, Kiss, Metallica, e aliás, o Metallica está confirmado no Rock in Rio de novo. Não tem muita mudança nesse sentido. As mesmas bandas que tocavam aqui nos anos 90, tocam nessa década de 2010. Nada contra eles, que são uns monstros, mas eu quero novidade.
– Ué, e no que você pensa?
– Não sei, cara. Honestamente, não sei. Em 2011, colocaram uma banda brasileira, até legalzinha, chamada Glória, para abrir os shows do dia do Metal. Vaiaram DEMAIS os caras…
– Ah, eu conheço eles. Já os vi tocar. É ruinzinho, né?
– Aí é que está o problema. No Brasil, nada que é novo é bom. Ou quase tudo que é novo é ruim. E nada em português é bom. Exemplo: Se uma banda como o Glória aparece, logo abrem uma comparação com o Pantera, o Slipknot, etc. POOORRA, os caras são uns monstros! Claro que serão muito superiores. Mas chega uma hora em que essas bandas vão parar de tocar, até porque se você parar para pensar, de todas essas bandas que estão nos festivais por aqui, e que não fazem parte da cena Indie, pouquíssimas tem integrantes com menos de quarenta anos. Eu mesmo não lembro de uma até o momento. Talvez o Sepultura, que tem aquele Eloy na bateria (e por falar nisso, ele tocou COM O GLÓRIA no RiR em 2011), mas só. Quando todas essas bandas pararem, o que ficará? Já que ou nós desprezamos, muitas vezes sem ouvir, ou eles fazem parte da cena Indie, daqui uns anos só teremos Indie Rock?
– Nossa, velho. Nunca tinha pensado nisso. Bateu até um medo aqui.
– Pois é, eu já pensei nisso algumas vezes. Inclusive, comecei até a apoiar mais a cena nacional. Deixei a preguiça de lado e comecei a procurar uns eventos com bandas brasileiras. Eu sei que toda a indústria fonográfica contribui para essa “falência” do rock nacional (e internacional), mas eu faço a minha parte.
– Nossa, cara. Me convida para ir também. Agora que você falou, eu realmente preciso me atualizar, ouvir novas bandas.
– Claro, cara! Vamos sim. Mas sem bandas cover, ok?

O sistema volta. Os jovens se voltam para o computador, finalizam o trabalho e começam a pesquisar sobre shows de bandas nacionais.
Em algum lugar do país, uma semente foi plantada, e o rock nacional respira.

Bruno Rodrigues.

*Este texto é fictício (apesar do contexto ser uma dúvida/medo/curiosidade do autor), e os personagens envolvidos nunca existiram.

Sorveteria Ben & Jerry’s

Por Mayara Moreno.

Sabe aqueles potes de sorvete bonitinhos que possuem a ilustração do desenho “Tom e Jerry”? Então, esses sorvetes chegaram ao Brasil, em outubro de 2014, junto a uma loja na Oscar Freire. A empresa de sorvetes estadunidense oferece sabores super diferentes e com nomes divertidos também homenageando astros do rock, a um preço acessível comparada ao produto e a outras empresas de sorvete aqui no Brasil.

Diferente do que parece, a loja possui uma origem humilde e é a favor da sustentabilidade, deixando isso bem a mostra em suas propagandas e no processo de fabricação dos sorvetes.

Os amigos Ben e Jerry, tiveram a iniciativa de abrir sua primeira sorveteria após um curso por correspondencia de apenas 5 dólares em 1978, em um posto de gasolina recém-reformado em Burlington, em Vermont, Estados Unidos. No ano seguinte no aniversario de um ano da loja, para promover a sorveteria, criaram o “Free Cone Day”, um evento que distribui casquinhas de sorvete gratuitas. A partir dai a empresa foi crescendo mais e mais até obter franquias pelo mundo todo, sorvetes de meio litro em super mercados, e vans ambulantes no pais de origem que distribuem casquinhas.

Com tanto sucesso, os amigos decidiram fundar uma organização que possui o mesmo nome de sua sorveteria com o intuito de doar 7,5% do lucro anual das vendas para projetos sócias.

Bem, toda essa historinha é para dizer que, apesar de possuir apenas duas lojas no Brasil, localizadas em São Paulo, sendo elas na Oscar Freire e dentro do Shopping Morumbi, também haverá “Free Cone Day” aqui, no dia 14 de abril, terça-feira, o evento já possui página no Facebook e acontecera o dia inteiro.

Aqui vai os endereços e horários certinho para você anotar e não se esquecer:

Free Cone Day Oscar Freire Horário: Das 12h às 21h Endereço: Rua Oscar Freire, 957 – Jardim Paulistano

Free Cone Day Morumbi Horário: Das 10h às 21h Endereço: Morumbi Shopping – Av. Roque Petroni Júnior, 1089

Site para mais informações sobre a sorveteria e seus projetos: ACESSE AQUI.

KIKO LOUREIRO NO MEGADETH!

Por Bruno Rodrigues.

Na última quinta-feira, uma notícia chacoalhou o mundo do metal: O brasileiro Kiko Loureiro é o novo guitarrista do Megadeth. Dave Mustaine, frontman da banda, publicou a notícia no site oficial do Megadeth com uma foto com Kiko, e comentou assim a chegada do carioca ao Megadeth:

“Conheci Kiko há uns oito anos para uma foto de capa da revista ‘Burrn!’. Eu não tinha ideia de quem ele era, a não ser pelo fato de que era tremendamente talentoso e que a equipe da ‘Burrn!’ tinha muita consideração por ele. Desde então, descobri como ele é um guitarrista virtuoso, e estou profundamente animado por sua profundidade e seu talento. Poucos pupilos do Megadeth tiveram a habilidade e o sentimento de Kiko. Como Frank Sinatra disse: ‘O melhor está por vir!'”

Kiko, nascido na capital fluminense, tem 42 anos e desde meados de 1990 é guitarrista do Angra, banda brasileira muito conceituada no cenário do Heavy Metal. Apesar de assumir a vaga no Megadeth, Kiko deverá manter-se no Angra e conciliar a agenda das duas bandas. O próprio Angra, aliás, emitiu um comunicado comemorando a entrada de seu integrante na banda norte-americana.

Kiko Loureiro (esq.) e Dave Mustaine, líder do Megadeth.

Kiko Loureiro (esq.) e Dave Mustaine, líder do Megadeth.

O Megadeth foi criado em 1983, após Dave Mustaine ter sido expulso do Metallica. A banda tem 11 indicações ao Grammy e faz parte do “Big Four”, que é o grupo das quatro maiores bandas do Metal, juntamente com o próprio Metallica, além de Anthrax e Slayer.

Na prática, a ida de Kiko Loureiro para o Megadeth não deve salvar a lavoura do rock nacional, mas é uma boa prova de que o Brasil também produz grandes músicos. O próprio Megadeth também tem muito a ganhar com a chegada do brasileiro, que é multi-instrumentista e também compositor. Resta saber se a parceria fará sucesso.

O Megadeth, ao menos por enquanto, não tem previsão de datas para shows no Brasil.

Arriba y avante!

Bruno Rodrigues.

Consolação ganha nova Livraria Mackenzie.

A livraria da Cia. dos Livros abrirá na segunda-feira, dia 6 de abril, localizado na Rua da Consolação, 930, no campus Mackenzie Higienópolis.

Além de obras de diversas editoras e autores, haverá um espaço da Editora Mackenzie e um ambiente de convivência com vista para a Rua da Consolação, aberto para a comunidade Mackenzista e para o público externo, com acessibilidade.

O horário de funcionamento será de 2ª a 6ª feira, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 13h. Alunos e funcionários terão descontos especiais.

Fonte, texto e foto: Facebook

Caixa Belas Artes recebe mostra com filmes de Stanley Kubrick.

Dica para os fãs da sétima arte, coisa fina, para quem gosta dos clássicos de um dos maiores cineastas da história do cinema mundial. De 3 a 8 de Abril, o Caixa Belas Artes, na Consolação, recebe a mostra “Stanley Kubrick: o Legado”. Serão exibidos os seis últimos filmes do diretor: “2001 – Uma odisseia no espaço” (1968), “Laranja Mecânica” (1971), “Barry Lyndon” (1975),  “O Iluminado” (1980), “Nascido para Matar” (1987) e “De Olhos Bem Fechados” (1999).

Stanley Kubrick

Stanley Kubrick

Confira a programação completa:

“Laranja Mecânica”
Sexta, 03/04, às 15h10
Sábado, 04/04, às 20h10

“O Iluminado”
Sexta-feira, 03/04, 20h40
Segunda-feira, 06/04, 15h

“Barry Lyndon”
Sábado, 04/04, às 14h30
Terça-feira, 07/04, 20h10

“De Olhos Bem Fechados”
Sábado, 04/04, às 22h50
Quarta-feira, 08/04, às 15h

“Nascidos para Matar”
Domingo, 05/04, 19h40
Terça-feira, 07/04, às 15h30

“2001 – Uma Odisseia no Espaço”
Domingo, 05/04, às 14h30
Quarta-feira, 08/04, às 20h10

Serviço
Temporada: de 3 a 8 de abril
Local: Caixa Belas Artes
Endereço: Rua da Consolação, 2423, Consolação
Capacidade: 295 lugares
Mais informações: (11) 2894-5781

Texto: Fernanda Saraiva
Foto: Google

Morre filho de Geraldo Alckmin em Carapicuíba.

Ontem, foi um dia bem estranho. Fui ao trabalho, na véspera de feriado de semana santa, ao sair passei no bar para conversar com alguns amigos. Durante uma conversa igualmente estranha, soube que um helicóptero caiu perto da minha casa. “Perto” né, porque não é tão perto assim, mas, ainda assim, foi um choque. Muitas pessoas comentando sobre o assunto, porém, sem maiores notícias do acontecido.

Recebi uma mensagem no grupo da faculdade pelo WhatsApp, dizendo que o filho do Alckmin havia morrido. Fiquei em choque, porque, para mim, perder um filho é uma coisa impensável. De qualquer forma, não comentei nada, e vim embora. Ao chegar em casa soube que o acidente e a morte tinham uma ligação direta, pois Thomaz Rodrigues Alckmin, um homem de 31 anos, que tinha uma mulher e duas filhas, estava dentro do helicóptero, junto com os quatro amigos Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, de 53 anos, Paulo Henrique Moraes, de 42 anos, Erick Martinho, de 36 anos, e Leandro Souza, de 34 anos.

Espero que Deus conforte a família de Thomaz, e a família de Geraldo.

Thomaz Rodrigues Alckmin, 31 anos.

Thomaz Rodrigues Alckmin, 31 anos.

SOBRE O ACIDENTE

O helicóptero da empresa Seripatri caiu sobre uma casa em Carapicuíba, na tarde de onte (02/04), sem deixar sobreviventes. O acidente ocorreu por volta das 17h20, segundo os bombeiros. A Seripatri informou, em nota divulgada às 19h11, sem listar os nomes, que um piloto e três mecânicos faziam um voo de teste depois de uma manutenção preventiva. A confirmação de que houve uma quinta vítima só foi divulgada pelos bombeiros por volta das 20h30, também sem divulgar nomes naquele momento.

Fonte: Globo.com

Texto: Fernanda Saraiva
Foto: Globo.com