Comic Con por Larissa Santos

Por Larissa Santos

O slogan/lema (sei lá o nome) foi “vai ser épico” e sim, foi exatamente isso. Até tenho costume de ir em eventos deste tipo, mas esse teve um gostinho diferente, por N motivos.
Vou contar um pouco sobre minha experiência, mas sinceramente não dá para falar disso sem mencionar o antes e o depois do evento. O antes começou beeeeem antes, lá em abril quando comprei a credencial, nessa época eu sabia que a credencial demoraria para chegar, mas confesso que a partir da metade de setembro tiveram dias em que o desespero tomou conta (risos).

Credencial chegou, várias atrações legais sendo confirmadas e infelizmente senhor Frank Miller cancelou o domingo. Mas felizmente todas essas emoções foram compartilhadas com um grupo que saiu de um post da página do evento (aqueles posts de deixar o seu número para criar um grupo no whats), pensem numa galera FODA! Os caras sabem de tudo e me deram muitas dicas e ajudou bastante compartilhar a ansiedade com essa galerinha. (Valeu grupo what’s up XP).

 

Foto retirada do Facebook de Larissa Santos

Foto retirada do Facebook de Larissa Santos

Ah e claro que não poderia faltar o drama, o suspense, ou melhor, o meu azar né. Se faltasse não seria eu. Fui organizar a mochila um dia antes do evento e ao pegar a credencial percebi que não recebi uma coisa chamada “e-ticket”, percebi isso porque na credencial (tipo um ingresso) estava escrito que o e-ticket era de extrema importância para entrar no evento. FUDEU PARÇA! Entrei em estado de choque, sentei no chão da minha cozinha e fiquei vendo um filme na minha cabeça, um filme de terror pior que Joe e as baratas (risos). Após conversar com um amigo que já tinha ido ao evento consegui levantar do chão e ir para cama para tentar dormir. Bem, o que posso dizer é que falhei nessa missão, não consegui dormir nada, só pensando nesse e-ticket.

 

Finalmente chegou o grande dia, vamos para porta do evento e esperar conseguir entrar sem o e-ticket né, ao chegar lá primeira surpresa boa do dia: CONSEGUI O E-TICKET (e nem foi difícil, deveria ter dormido), mas vamos falar de coisa boa (tekpix), vamos falar do evento.

 
Não quero falar dos painéis, stands e auditórios do evento, então vou falar do evento de um modo geral. Logo que cheguei fui super bem recebida pela galera que organiza as filas e talz e isso já começou a moldar o clima de ‘estou em casa’, o evento para mim foi exatamente isso, uma festa em casa. O lugar estava LOTADO mas pelo espaço enorme não tive problemas para me locomover de um lado para outro.

 
Banheiro para mim é uma coisa muito importante (virginiana) e o do evento estava limpo, organizado, com papel e sabonete, ganhou uma estrelinha. Acho legal mencionar que os cosplayers tinham um lugar só para eles se arrumarem, não sei se a instalação era super equipada ou se atendia as necessidades da galera, mas achei legal simplesmente por ter isso.

 
Sobre as filas: se organize, programe o seu evento com antecedência, não tem como não ter fila, olha o tamanho desse evento cara. Minha única reclamação é no preço das comidas, realmente um absurdo! Isso sem dúvida algo que dá para melhorar #ficaadica!

 
Mas voltando ao lado bom, o evento é um ótimo lugar para ir com seus amigos, filhos, irmãos, enfim, todos os nerds. Ver uma porrada de coisas legais e épicas, sentar no chão morta de tanto andar e simplesmente conversar sobre idiotices. E para finalizar a parte desse dia épico: pais (responsáveis e etc), levem as crianças, existem atrações e espaço para os pequenos e eles merecem ter esse momento para curtir esse tipo de evento!

 
Finalizando todo esse textão, o pós é triste, muito triste por que você só quer voltar (risos). Para que você entenda o pós eu acho que o melhor jeito é pensar naquela ressaca monstra daquele rolê épico que você fez. A única diferença é que você não diz que nunca mais vai voltar (ou nunca mais vai beber) você quer mais e mais. Até a próxima CCXP.
That’all folks! 😉

Anúncios

Comic Con por Ana Afonso

Por Ana Afonso

Gastei 80 reais pra ir no evento que, como a própria propaganda dizia “vai ser épico” e provavelmente foi, pra quem tinha mais condições. Não estou dizendo que foi ruim, mas perdi a metade do dia apenas pegando uma fila atrás da outra, chegando cedo, ainda só entrei no evento as 15h, algumas atrações já estavam ESGOTADAS, ou tinham sido finalizadas. A única coisa que ouvia nos estantes era “amanhã tem mais”, mas não pra mim é claro, que só pude comprar o ingresso de quinta-feira. Não vi nenhum ator e fui em apenas em 5 estandes, tudo tinha muita fila, algumas atrações demoravam demais, mas tinham coisas bem legais pra fazer, queria ter tempo pra pegar todas as filas. Considerando que é o terceiro ano do evento, até que estava bem bacana, faltou mesmo uma melhor logística para as filas de credencias e entrada, para que todo mundo possa aproveitar mais!

Foto: Facebook Ana Afonso

Foto: Facebook Ana Afonso

Nota sobre acidente da Chapecoense

Por Caio C.

Foto: Criatives

Foto: Criatives

Hoje, todos entendem quando brigamos, gritamos, choramos pelos nossos times. #NãoPodeSerSóFutebol Ele vai muito além das quatro linhas. Está num patamar elevado. Ele transcende tudo o que sabemos, sentimos. O futebol é algo mágico. Quantas vezes vimos imagens de pessoas nos estádios sem a mínima condição de estar lá, mas mesmo assim estão. Mesmo não podendo fazer muito, mas a presença no estádio já basta para ajudar seu time do coração. O futebol é isto, um amontoado de amor e ódio. Dois sentimentos que se unem quando estamos vendo nossos times jogar. E hoje o mundo se une por uma equipe jovem, que cresceu com o tempo. Que vinha conquistando seu lugar no cenário mundial. Tenho certeza que onde eles estão, continuarão torcendo pelo maior Verdão do Brasil. A Chapecoense é enorme. GIGANTE! O futebol respira, por aparelhos, mas respira. Querem tirar nossa identidade, mas enquanto pudermos gritar, cantar, vibrar, ninguém poderá nos parar. É uma tragédia enorme, mas a história que estes jogadores e comissão técnica escreveram, ninguém jamais poderá apagar. O dia está cinza, não tem motivo para se estar feliz. E parece que a força que rege o universo sabe disso. A comoção não é apenas no Brasil, vários time, de vários lugares demonstrando o quanto este time é importante. Mostrando o quanto, em pouco tempo a história da Chapecoense é gigante. A verdade é que, o futebol nunca mais será o mesmo, mas faremos o impossível para que o nome e história da Chapecoense não caia em esquecimento. O futebol é passado de pais para filhos, independente se torce ou não para o mesmo time, não deixemos que essa história acabe depois deste trágico dia 29/11/2016. Eles não merecem, os familiares não merecem. Façamos o impossível para que este lamentável dia não afunde a tradição deste belo e emblemático clube catarinense.