Ressaca – Tutorial do transporte público!

Por @Detachez

O que mais me incomoda em utilizar o transporte público é a falta de bom senso que os usuários possuem. Vejamos alguns casos, por exemplo, não saber utilizar o trem e o metrô acontece em todos os cantos da cidade, porém, este post vem para tentar facilitar a vida dessas pessoas, para o caso de um dia você precisar sair da sua casa e ir para o outro lado da cidade sem sequer saber como o fazer. Vamos lá.

Em todas as estações há postos de atendimento nos quais você pode se informar e ainda pegar um mapa com todo o sistema metroviário. Além disso, há placas sinalizando todo o trajeto, facilitando a localização, e posso dar como exemplo o fato de as estações marcarem um “Você está aqui”, nos mapas espalhados pela estação.

Metrô SP. Foto Google.

Metrô SP. Foto Google.

Todas as estações possuem uma SSO, que é um ponto de encontro e também um meio de comunicação, pois lá podemos comunicar ao amigo ou parente o local em que estamos, em caso de desencontros. Vale ressaltar que, em caso de encontros, cabe combinar antes o local para evitar que se percam, pontos de referência, tais como a SSO, o mezanino da estação, elevadores, bloqueios de transferência para Metrô e CPTM, catracas de entrada e saída, banheiros, e etc.

O uso das escadas rolantes também vale a pena lembrar que, mesmo querendo conforto, o lado esquerdo foi feito para a passagem dos passageiros. Tudo bem que estes possuem opção da escada normal, que “obriga” a movimentação total, mas a escada rolante é um modo de acelerar o processo de baldeação, e por este motivo deve haver o respeito e a liberação do lado esquerdo da escada. O mesmo serve para as esteiras, localizadas por exemplo na estação Consolação (linha verde do Metrô) / Paulista (linha amarela da ViaQuatro).

Assim, facilitamos a vida de quem não tem pressa e evitamos acidentes para os apressadinhos. Beijos galera.

Texto: Fernanda Saraiva.

Ressaca – O Transtorno Público.

Por @Detachez

Vamos fazer piada do transporte público que está mais para transtorno público. A estação Sé do metrô linha vermelha {linha dois}, mais conhecida como a “linha do inferno”, é a estação de mais movimento do metrô, e na CPTM temos uma estação que, posso dizer, pega fogo o dia inteiro, não somente em horários de pico, e como eu costumo dizer, de pica, porque é para foder a vida do cidadão paulistano/paulista que precisa usar o trem até sua casa, a estação Luz, que dá acesso à linha um azul do metrô e as linhas Rubi e Coral.

Olha só o transtorno do povo que utiliza essas duas linhas da CPTM, e isso, eu garanto, é em QUALQUER horário.

Estação Luz sentido Guaianases.

Estação Luz sentido Guaianases. Sem edição para sentir a pressão.

E o que será feito para suportar tanta gente assim? Mesmo porque os gringos vão querer utilizar o que é considerado o melhor do transporte público mundial. Pois é galera, este é o país da copa, que não tem estrutura sequer para aguentar o tranco dos próprios moradores, imagine quando os gringos chegarem.

Beijos. :*

Texto e foto: Fernanda Saraiva {Spinelli Détachez}

Ressaca – Respeito.

Por @Detachez

Hoje, na minha coluna, depois de duas semanas sem postar nada, tanto pela correria de fim de ano quanto pelo meu aniversário, planos e mudanças de horário no trabalho, vamos falar sobre a falta de respeito no transporte público. Aproveitei este tempo para tirar algumas fotos, de assuntos variados que virão por aí, mas hoje, ficaremos com o descaso de jovens que sentam em bancos preferenciais sem precisarem.

Desrespeito.

Desrespeito.

Estava vindo da Julio Prestes, pois gosto de pegar o trem sentada carregando a bateria do meu android, e na Barra Funda o trem encheu, uma moça sentou no banco preferencial, até então não haviam pessoas que seriam atendidas pelo lugar, pois bem, quase chegando na estação que eu iria descer, entrou uma dupla de senhores, e ao lado dela havia um banco livre, no qual sentou um dos dois homens e o outro ficou em pé porque a moça estava mexendo, ou fingindo que estava mexendo, no celular e não deu lugar para o senhor.

O homem ficou encarando ela por um longo tempo, e por fim se cansou de tentar fazer com que ela o visse e ficou em pé mesmo. Levantei, e cedi meu lugar ao senhor, que recusou olhando para a moça sentada, e então eu desci.

Vamos rever nossos valores, pois não queremos que os gringos venham e vejam esse tipo de atitude.

Texto e foto: Fernanda Saraiva {Spinelli Détachez}.

Ressaca – Cultura no transporte público.

Por @Detachez

Poucas pessoas sabem que o transporte público, referindo-se da CPTM e Metrô/Via Quatro são patrimônios do estado de São Paulo, criados para facilitar a mobilidade urbana e ligar cidades muito longes, uma das outras. Portanto algumas das estações são verdadeiros monumentos públicos, que contam um pouco da história da cidade, mesmo antes da criação da CPTM.

Por exemplo, a estação Luz da CPTM, é uma obra de arte com sua estrutura antiga, tem até um relógio antigo, que recentemente parou de rodar, mas o problema foi logo resolvido. Além do prédio em si, a estação trás, por dentro, fotos da cidade como era antigamente, e fotos de pessoas que fizeram a história da criação da CPTM.

Mural da estação Luz da CPTM.

Mural da estação Luz da CPTM.

Outra estação que conta um pouco da história é a Sé, linha vermelha do metrô. A estação que recebe mais de um milhão de pessoas por dia, mostra fotos da cidade, assim como a estação Anhangabaú, que possui obras de arte de artistas que colorem mais a cidade.

Existem muitas estações que contam um pouco da história de cada cidade, de acordo com a localidade, em Carapicuíba há uma exposição sobre um espaço em Osasco, vale muito a pena conferir. Na Barra Funda também há outra exposição contando um pouco da história da cidade.

Sendo assim, vale a pena olhar o que tem pelas estações quando fazemos as viagens, pois simples detalhes podem mudar nosso dia. Assim como mudam os meus.

Mais informações sobre a CPTM acesse aqui.

Texto e foto: Fernanda Saraiva {Spinelli Détachez}.

Ressaca – UMA utilidade pública incrível!

Por @Detachez

Como sou adepta do transporte público, um belo dia voltando para casa, sem bateria no celular que ouço música, porque em dias de android e BlackBerry sem internet, o importante é ter fone de ouvido e celular que dure a bateria, me perguntei se não teria dentro do trem uma tomada para carregar enquanto ouvia minhas músicas favoritas.

O que é isso companheiro?

O que é isso companheiro?

E não há aquele velho ditado que diz “Quando não estivermos procurando, achamos”? Pois é meus caros. Lá estava eu, sentada no banco que vai de frente para minha estação, quando algo me incomodou na perna. Olhei e vi a danada da tomada dentro do trem.

Que bela surpresa! A tampa estava aberta, mostrando a tomada pedindo por ser “tomada” pelo carregador. Pensei em primeiro tirar uma foto, claro, quem acreditaria no que estou lhes contando sem uma prova? Fiz uma sequência de fotos, mas quando fechei a tampa para tirar a primeira foto, a decepção. A tomada é 220v. Quase chorei.

Olha isso companheiro.

Olha isso companheiro.

De qualquer forma, existe tomada dentro do trem, dá para carregar celular, com adaptador claro, para fazer chapinha e até secar o cabelo. Só espero que mudem a voltagem, porque até achar adaptador para poder usar a tomada.

E é dentro do trem.

E é dentro do trem.

Fotos tiradas na linha Diamante da CPTM – Itapevi e Julio Prestes.

Beijos. :*

Texto: Spinelli Détachez.

Bem vindo a cidade cinza.

Caros leitores, depois de um tempo sem postar, pois estou trabalhando muito e meio sem tempo e sem ajuda, venho informar alguns eventos que estão rolando por SP. E recomendar alguns livros, que andei lendo nos últimos tempos.

Amanha, 14/04 a banda RPM se apresenta no Mooca Plaza Shopping no projeto “Vitrine da Cultura”. O show é de graça.

Revoluções por minuto.

Revoluções por minuto.

ONDE: Mooca Plaza Shopping 

Rua Capitão Pacheco e Chaves, 313
Mooca – Leste
(11) 3548-4500

Estação Ipiranga (CPTM – Linha 10 Turquesa)

Dia 16/04 Ziggy Marley se apresenta no Multishow. O show também é na faixa e poderá ser visto no link as 21h
A Av. mais Paulista de São Paulo ganhará mais um centro cultural com a sede do Instituto Moreira Salles. A sede atual se encontra em Higienópolis e logo menos estará se mudando para a Av. Paulista. O novo prédio se situará entre as ruas Bela Cintra e Consolação.

IMS

IMS

O acervo do IMS conta com 800 mil imagens, 100 mil fonogramas, 1,2 mil obras de iconografia do século XIX e 400 mil documentos e livros de arquivos pessoais de escritores e pensadores. A previsão é que a obra seja concluída em três anos. Lembrando que a Livraria Cultura também possui uma loja de mesmo nome, oferecendo parte do acervo do IMS e acesso rápido e fácil aos clientes de todo o país.

Dias 20 e 21/04, próximo sábado e domingo, as 15h. Zelia Duncan e Zeca Baleiro, entre outros ainda não confirmados, se reunirão no Vale do Anhangabaú para homenagear Raul Seixas.

Maluco Beleza.

Maluco Beleza.

O evento será feito pelo Centro Cultural Banco do Brasil que usará o gancho para comemorar 12 anos do CCBB.

Andei lendo muitos livros nos últimos meses, comprei muita coisa e tenho que recomendar um livro em especial. O primeiro livro deste autor, que eu li, já comentei sobre em outro post, Blecaute. Que conta a história de 3 amigos que vão à uma excursão ao Vale do Ribeira, mas ficam presos por uma chuva que inundou tudo, por 3 dias.

Apaixonante.

Apaixonante.

Quando voltam a São Paulo se deparam com estátuas de todo o resto do mundo. Nenhum sobrevivente além de uma velhinha que assusta e anima os amigos. Porém, Marcelo Rubens Paiva, lançou ano passado o seu mais novo trabalho: “As verdades que ela não diz”. Um livro que reune contos sobre relacionamentos (extra)conjugais, com bom humor e boêmia já conhecidos do trabalho de Marcelo. Eu já era apaixonada por ele, e depois de ler o livro fiquei ainda mais encantada.

As verdades que ela não diz.

As verdades que ela não diz.

Então, vale a pena a leitura, visto que Marcelo é um amante da cidade de São Paulo assim como eu. E por enquanto é isso.

Spinelli Détachez.