Masp: maior arte já criada nos anos 40**

O museu foi criado em 1947 em São Paulo

Flávia Pereira

Foto: Museu do MASP antigamente – site flanela paulistana

Foto: Museu do MASP antigamente – site flanela paulistana

A Avenida Paulista possui um dos principais pontos artísticos da metrópole paulista: O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, mais conhecido como Masp. Ele foi inaugurado no dia 2 de outubro de 1947, na Rua 7 de abril, na região central da capital paulista. Foi idealizado pelo criador da empresa Diários e Emissoras Associados, Assis Chateaubriand e pelo mestre, ativista da mídia e crítico de arte italiano Pietro Bardi.

Como a cidade de São Paulo era na época a grande capital financeira, decidiram que o museu seria construído. A arquitetura do Masp foi toda projetada pela esposa de Pietro Bardi, a arquiteta Lina Bo Bardi e construída pelo o engenheiro consagrado Figueiredo Ferraz.

O prédio, que levou 12 anos para ser construído, suspenso sobre quatro colunas ligadas por duas gigantescas vigas de concreto, cumpre a promessa de manutenção do Belvedere Trianon, deixando oito metros de altura numa extensão de 74 metros. Com obras de arte que passaram por vários países, inclusive na Europa, a inauguração do museu contou com a presença da Rainha Elizabeth II da Inglaterra, das maiores autoridades brasileira da época e uma grande participação do público em frente ao edifício.

Na década de 1990, as colunas do edifício foram totalmente pintadas de vermelho, para homenagear os 40 anos do museu. Em 1997, o prédio passou por uma reforma que recebeu um terceiro andar subsolo, onde ficam as peças do acervo que não estão mais em exposição. Em 2007, o Masp teve suas coleções reorganizadas em quatro exposições, pelo curador coordenador do museu. Prof. Teixeira Coelho, quando o museu completava 60 anos de história.

Marcelo Marchi, trabalhador da Assembleia Legislativa de São Paulo, relata que, em sua época de faculdade, em 2001 os alunos ganharam um convite para uma exposição de Expressionismo dos 100 anos de Machado de Assis, dentro do espaço cultural do Masp. Ele comenta que vários artistas expuseram suas obras e que no dia teve teatro, relatos e livros, tudo sobre o autor brasileiro. Antigamente segundo Marcelo, era um espaço cultural que poucas pessoas tinham acesso.

A professora Maria de Lourdes conta que em 1979, quando ela cursava o ginásio, foi numa exposição do museu e diz que o Masp não mudou muito desde essa época. “As colunas já eram vermelhas destacando a arquitetura do prédio, na parte externa – pátio havia algumas colunas com amostras das exposições. As salas tinham pouca luz, muitas janelas de grandes vidros, as obras ficavam suspensas e se não me engano nessa época vimos obras pertencentes ao acervo do museu. O quadro que ficou marcado em minha memória foi Rosa e Azul do artista Renoir”, diz Maria.

Desde o início, o museu proporciona ao público brasileiro centenas de exposições de artistas estrangeiros e grandes exposições internacionais através do intercâmbio de obras com diversos museus no mundo e o patrocínio de empresas parceiras, e permanentemente apresenta as obras dos artistas radicados no Brasil através de uma visão contemporânea da produção atual de todas as manifestações artísticas.

Informações ao Público:

Endereço: Avenida Paulista, 1578 – São Paulo – SP
Telefone: (55- 11) 3251-5644
Fax: (55-11) 3284-0574
Próximo à estação do metrô Trianon- Masp

Horários:

Terça a domingo: 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30)
Quinta-feira: 10h às 20h (bilheteria até 19h30)

Ingressos:
R$25,00 (entrada); R$12,00 (meia-entrada)
O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo, e às quintas-feiras, a partir das 17h.

O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$12,00 (meia entrada).
Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.
O MASP aceita todos os cartões de crédito. O Vale cultura é bem-vindo.

Estacionamento:
Convênio com Progress Park Estacionamentos
Avenida Paulista, 1636
De segunda a domingo, das 7h às 21h30, pelo período de 3 horas: R$15
Acessível a deficientes, ar condicionado, classificação livre.

** Este texto foi publicado originalmente no blog Comunica Fapcom.

Arte Em Sampa – MASP.

Por @Detachez

O triunfo do detalhe (e depois, nada) é o nome da exposição que teve início em 01 de novembro de 2013 e não tem previsão de se encerrar. A mostra traz obras de artes plásticas que propõe realizar uma nova visão sobre as pinturas. Foi separada em três seções, que retrata um momento diferente da história da arte.

Monet

Monet

A mostra tem trabalhos de Monet, Van Gogh, Cézanne, Velázquez, Tiziano, Frans Hals, Picasso, Regina Silveira e Leon Ferrari. Palavras do curador, Denis Molino: “durante largo período a arte foi, primeiro, a arte do detalhe, de reproduzir o detalhe ou criar detalhes imaginários. O sentido da arte estava não raro no detalhe, um dos indícios fortes do valor do artista. Seguiu-se um período em que o detalhe começa a dissolver-se, e com ele toda a pintura; e, depois, um terceiro tempo em que sai de cena”.

Serviços:
Data(s): A partir de 1 de novembro de 2013 (sem previsão de encerramento).
Horário(s): Terças, quartas, sextas, sábados e domingos das 10h às 18h. Quintas das 10h às 20h.
Preço(s): R$ 7 (meia-entrada) às quartas, quintas, sextas, sábados e domingos. Grátis às terças.
Onde: Museu de Arte de São Paulo – MASP
Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista.

Texto: Fernanda Saraiva.
Fotos: Google.

Rapidinhas Especial Coluna de Música!

Hoje o post vai ser meu, então, venho com duas colunas ao mesmo tempo. Juntando o “Rapidinhas” com a “Coluna de Música”, visto que hoje é sexta feira. Vou dar algumas dicas musicais que vão rolar por aí. Então, letisgo!

Miguel Falabella estará em cartas no Teatro Sesi-SP com uma comédia musical chamada “A Madrinha Embriagada”. A peça conta com a direção de Falabella.

Sobre a Peça.

“A Madrinha Embriagada” é um musical que brinca com os tempos dourados, narrados pelo “Homem da Poltrona” (Ivan Parente), personagem que questiona os musicais atuais e brinca com a própria tradução da peça homônima, fazendo menção ao “tradutor” João Canarinho.

Miguel Falabella.

Miguel Falabella.

A história do disco trata de uma musa do teatro, Jane Valadão (Sara Sarres), que vai deixar os palcos para se casar com o empresário Roberto Marcos (Frederico Reuter). Como costume da época, uma madrinha é contratada para cuidar da noiva antes do casamento, nesse caso, Jane é sempre acompanhada por sua madrinha embriagada (Stella Miranda).

O dono do teatro, Sr. Iglesias (Saulo Vasconcelos), e outros personagens não querem que esse casamento não aconteça. Com a ajuda da corista sem talento, Eva (Kiara Sasso), Iglesias contrata um amante argentino, Aldolpho (Cleto Baccic), para atrapalhar essa união.

Espiões disfarçados de padeiros portugueses (Rafael Machado e Daniel Monteiro), uma aviadora, Dôra (Adriana Caparelli), Dona Francisca Jaffet (Ivanna Domenyco) e seu mordomo e o amigo do noivo (Fernando Rocha) são os personagens reunidos no cenário da peça, uma mansão na Avenida Paulista. De 17/08/2013 à 29/06/2014.

Teatro Sesi-SP: Av. Paulista, 1313. Centro – Centro. São Paulo. Contato: (11) 3146-7405. Estação Trianon-Masp (Metrô – Linha 2 Verde).

 

Album Nevermind - Nirvana.

Album Nevermind – Nirvana.

Para celebrar os 22 anos de lançamento do álbum “Nevermind”, a banda Nirvana Cover faz um show especial no CÉU Jambeiro. Serão tocadas as músicas do álbum e muitos outros sucessos da banda grunge de Seattle. O show rola amanhã, 03/08, às 16he é SP Free.

CEU Jambeiro: Av. José Pinheiro Borges, 60. Guaianases – Leste. São Paulo.

 

Fonte: Catraca Livre. Texto por Spinelli Détachez. Fotos: Divulgação.