Masp: maior arte já criada nos anos 40**

O museu foi criado em 1947 em São Paulo

Flávia Pereira

Foto: Museu do MASP antigamente – site flanela paulistana

Foto: Museu do MASP antigamente – site flanela paulistana

A Avenida Paulista possui um dos principais pontos artísticos da metrópole paulista: O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, mais conhecido como Masp. Ele foi inaugurado no dia 2 de outubro de 1947, na Rua 7 de abril, na região central da capital paulista. Foi idealizado pelo criador da empresa Diários e Emissoras Associados, Assis Chateaubriand e pelo mestre, ativista da mídia e crítico de arte italiano Pietro Bardi.

Como a cidade de São Paulo era na época a grande capital financeira, decidiram que o museu seria construído. A arquitetura do Masp foi toda projetada pela esposa de Pietro Bardi, a arquiteta Lina Bo Bardi e construída pelo o engenheiro consagrado Figueiredo Ferraz.

O prédio, que levou 12 anos para ser construído, suspenso sobre quatro colunas ligadas por duas gigantescas vigas de concreto, cumpre a promessa de manutenção do Belvedere Trianon, deixando oito metros de altura numa extensão de 74 metros. Com obras de arte que passaram por vários países, inclusive na Europa, a inauguração do museu contou com a presença da Rainha Elizabeth II da Inglaterra, das maiores autoridades brasileira da época e uma grande participação do público em frente ao edifício.

Na década de 1990, as colunas do edifício foram totalmente pintadas de vermelho, para homenagear os 40 anos do museu. Em 1997, o prédio passou por uma reforma que recebeu um terceiro andar subsolo, onde ficam as peças do acervo que não estão mais em exposição. Em 2007, o Masp teve suas coleções reorganizadas em quatro exposições, pelo curador coordenador do museu. Prof. Teixeira Coelho, quando o museu completava 60 anos de história.

Marcelo Marchi, trabalhador da Assembleia Legislativa de São Paulo, relata que, em sua época de faculdade, em 2001 os alunos ganharam um convite para uma exposição de Expressionismo dos 100 anos de Machado de Assis, dentro do espaço cultural do Masp. Ele comenta que vários artistas expuseram suas obras e que no dia teve teatro, relatos e livros, tudo sobre o autor brasileiro. Antigamente segundo Marcelo, era um espaço cultural que poucas pessoas tinham acesso.

A professora Maria de Lourdes conta que em 1979, quando ela cursava o ginásio, foi numa exposição do museu e diz que o Masp não mudou muito desde essa época. “As colunas já eram vermelhas destacando a arquitetura do prédio, na parte externa – pátio havia algumas colunas com amostras das exposições. As salas tinham pouca luz, muitas janelas de grandes vidros, as obras ficavam suspensas e se não me engano nessa época vimos obras pertencentes ao acervo do museu. O quadro que ficou marcado em minha memória foi Rosa e Azul do artista Renoir”, diz Maria.

Desde o início, o museu proporciona ao público brasileiro centenas de exposições de artistas estrangeiros e grandes exposições internacionais através do intercâmbio de obras com diversos museus no mundo e o patrocínio de empresas parceiras, e permanentemente apresenta as obras dos artistas radicados no Brasil através de uma visão contemporânea da produção atual de todas as manifestações artísticas.

Informações ao Público:

Endereço: Avenida Paulista, 1578 – São Paulo – SP
Telefone: (55- 11) 3251-5644
Fax: (55-11) 3284-0574
Próximo à estação do metrô Trianon- Masp

Horários:

Terça a domingo: 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30)
Quinta-feira: 10h às 20h (bilheteria até 19h30)

Ingressos:
R$25,00 (entrada); R$12,00 (meia-entrada)
O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo, e às quintas-feiras, a partir das 17h.

O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$12,00 (meia entrada).
Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.
O MASP aceita todos os cartões de crédito. O Vale cultura é bem-vindo.

Estacionamento:
Convênio com Progress Park Estacionamentos
Avenida Paulista, 1636
De segunda a domingo, das 7h às 21h30, pelo período de 3 horas: R$15
Acessível a deficientes, ar condicionado, classificação livre.

** Este texto foi publicado originalmente no blog Comunica Fapcom.

Anúncios

SPorts – Museu Do Futebol.

Por @Detachez

Para os apaixonados por futebol, São Paulo traz o Museu do Futebol, contando a história do esporte mais popular do mundo, logo, sendo a paixão do brasileiro.

No museu pode-se encontrar fotos, jornais, registros da história do Futebol desde os primórdios da criação até hoje. Conta a história de ídolos do mundo inteiro, dando oportunidade de quem visita interagir e brincar nas dependências. Só indo para saber como é a sensação de estar no século XX onde tudo começ0u.

A entrada é feita por intermédio de agendamento, e vale tanto para quem quer ir sozinho ou para o professor que queira levar sua turma.

Museu do Futebol

Museu do Futebol

Serviços:
Endereço: Estádio do Pacaembu – Praça Charles Miller, s/n, São Paulo. Telefone (11) 3664-3848.
Horários de carnaval: Terça (04/03) – das 9h às 18h – Grátis neste dia.
Quarta (05/03) – das 12h às 18h. Bilheterias até as 17h.
Horários normais: de terça à domingo: das 9h às 17h com permanência até às 18h.
Não abre às segundas e tem horários diferenciados em dias de jogos, e abre em feriados que caiam de terça à domingo.
Às quintas o ingresso é gratuito. Não pagam ingressos crianças de até 7 anos, professores da rede pública com apresentação de holerite/contracheque atualizado e deficientes físicos que podem dar a gratuidade do ingresso a um acompanhante.

Agendamentos:
Com educador – grupo de até 40 pessoas, agendamentos feitos entre 8h30 e 12h30 pelo telefone (11) 3661-2273 ou agendamento@museudofutebol.org.br
Sem educador – agendamentos feitos entre 8h30 e 12h30 pelo telefone (11) 3661-1407 ou visitadegrupos@museudofutebol.org.br
Eventos – pelo telefone (11) 3664-3855 ou eventos@museudofutebol.org.br

Texto: Fernanda Saraiva.
Fotos: Google.

Arte Em Sampa – Museu Tattoo Brasil!

Por @Detachez

São Paulo, cheia de malícia, guarda em suas ruas segredos que são muito amor. Eu, uma pessoa simplesmente apaixonada por tatuagens, não poderia deixar de citar uma dica, inicialmente da minha querida amiga Aline Andrade, e em segundo plano, ressaltada pela minha outra amiga Ellen Fialho, o Museu Tattoo Brasil.

Museu da Tatuagem

Museu da Tatuagem

O tema é amplo, visto que lá podem ser vistas tatuagens de artistas brasileiros e trabalhos espalhados pelas cidades do país. O acervo reúne mais de 460 obras, divididos entre quadros, fotos, réplicas, maquinas antigas e esculturas.

Atualmente, tatuador Elcio Sespede, mais conhecido como Polaco, cuida sozinho do prédio Cadete Galvão, sendo o curador do museu. No acerco pode-se encontrar desde o primeiro homem tatuado até a evolução da tatuagem nos dias de hoje.

Museu da Tatuagem

Museu da Tatuagem

Serviços:

Museu da Tatuagem
End.: Rua 24 de Maio, 225 – 1º andar – São Paulo.
Horário de funcionamento: de segunda à sexta, das 10h às 19h. Sábados, das 8h às 13h. Não abre aos domingos. É preciso marcar a visita antecipadamente via telefone. Próximo à estação República do Metrô.
Grátis.
Tel.: (11) 3222-8049.
www.polacotattoo.com.br

Fonte: http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/atrativos/pontos-turisticos/2886-museu-da-tatuagem

Texto: Fernanda Saraiva.
Fotos: José Cordeiro.

Ressaca – Museu da Diversidade.

Por @Detachez

Aqui mesmo, na cidade de São Paulo, com acesso a todas as pessoas que utilizam transporte público, temos o Museu da Diversidade, Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual. Não sabia? Pois é. Se encontra na estação República que tem acesso pela linha  dois vermelha do metrô e pela linha quatro amarela da ViaQuatro.

Museu da Diversidade.

Museu da Diversidade.

O espaço é pequeno, mas a informação que encontramos lá é enorme. Agora, quem visitar poderá encontrar a exposição Moda e Diversidade, que conta com fotos incríveis com a visão poética dos fotografos, sobre os modelos e seus diferentes estilos. Além dos modelos, pode ser vistas belas fotos da transexual Lea T. filha do ex jogador da seleção brasileira de futebol Toninho Cerezo. O olhar dos fotografos toca o espectador de forma única.

O museu foi inaugurado em Maio de 2013, pelo Governador Geraldo Alckimin, e assinam com ele este projeto o Secretário de Estado da Cultura Marcelo Mattos Araújo e o Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos Jurandir Fernandes.

O local funciona durante o horário de funcionamento da estação República exceto aos finais de semana. Vale a pena dar uma passada e sentir a vibe do local. Não é cobrado valor para entrar e ainda é possível assinar para marcar presenhça em um livro.

Foto da exposição.

Foto da exposição.

Sobre a exposição: Moda e Diversidade – Editoriais da Revista MAG!

O curador Paulo Borges reuniu fotos da revista MAG!. As fotos estão expostas em blocos, cada um contando uma história diferente.