Terra da Garoa – Músicas que falam sobre São Paulo.

Por @Detachez

Já que estamos reformulando as colunas, vou usar esta, de segunda feira, antiga coluna de esportes, para falar sobre um amor que muitos tem pela cidade. Amam tanto que fazem até músicas que contam a história do cotidiano ou também, sobre suas vidas, experiências pessoais, e afins.

“Trem das onze”, eternizada pelos Demônios da Garoa. Canção de Adoniran Barbosa, fala um pouco sobre a zona norte da cidade, citando Jaçanã e contando uma história com um toque de humor e desespero. Uma bela canção.

Outra canção que conta o amor de um baiano pela cidade de São Paulo é “Sampa”, de Caetano Veloso. Esta sim, comenta sobre as meninas da cidade, expressa um sentimento único que Veloso teve ao cruzar com a Av. Ipiranga e a Av. São João, no antigo centro da cidade. Ouvir essa música é fazer uma pequena viagem pelas ruas de São Paulo.

Uma das minhas favoritas é “São Paulo, São Paulo”, uma versão de “New York, New York”, de Frank Sinatra, feita por Premeditando o Breque. A letra é muito divertida, contando histórias sobre trabalhadores, as dificuldades e coisas boas que a cidade oferece, citando vários bairros de São Paulo. Simplesmente imperdível.

Para finalizar, vou falar sobre a música mais recente feita sobre a cidade, pelo rapper Crioulo Doido. “Não existe amor em SP” é uma verdadeira poesia, com sua sonoridade triste, fala sobre a cidade e sobre o que mais nos deixa tristes pelas ruas de São Paulo.

Texto: Fernanda Saraiva.
Vídeos: Youtube.

Anúncios

Arte Em Sampa – Grafite e estencil.

Por @Detachez

Grafite

Grafite

Não me canso de falar sobre grafite e estencil, porque é um modo de os artistas expressarem suas mágoas, sentimentos e toda a mágica que essa arte contém. Já escrevi sobre o assunto na Ressaca, contando mais detalhadamente sobre o assunto, e como todos estamos antenados sobre o que se trata, posso escrever com menos preocupação, porém vamos apenas relembrar.

Estencil.

Estencil.

O estencil é muito utilizado para politizar sentimentos de raiva, amor, pedidos, entre outras coisas, e sempre nos identificamos mais com ele, por ser mais difícil e um pouco mais chamativo, mais bonito de se ver. E hoje eu vou contar sobre um cantinho que já é muito especial para mim, fica na Vila Mariana zona sul de São Paulo, mais precisamente na rua Capitão Cavalcanti. Vou fazer faculdade de jornalismo lá, na Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FapCom) e quando fui entregar os documentos, me deparei com um lindo muro, cheio de grafite e de estencil. A pena maior é que o muro não tinha nenhuma assinatura, e assim ficou mais difícil reconhecer o artista.

De qualquer forma, fica aqui meu amor imenso pela arte que colore cada vez mais a São Paulo que não quer ser cinza.

Texto e fotos: Fernanda Saraiva {Spinelli Détachez}

Tá Na Moda – Dar Valor!

Por @Fernanda__Tozzi

Oi pessoas, eu estou com uma frase de uma música na cabeça a dias, e isso me pegou de tal forma. Vou fazer suspense e só falar que frase é no final, ou no meio, ou no começo… Suspense não vou falar, vai ter que ler tudinho para saber qual é!

Essa frase me fez refletir sobre o quanto a vida é pequena para nos importarmos com coisas banais. Eu acho que somos tão abençoados (desculpem-me os ateus, mas foi o ÚNICO termo que se encaixou com o que quis dizer) pelo simples fato de viver. Olha o céu, o mar, as árvores floridas, tudo é tão perfeito e lindo, para que vamos nos importar com pessoas totalmente desnecessárias? Todos temos problemas, ÓBVIO, mas se pensarmos bem, existem tantas pessoas em uma situação pior que a nossa. Gente que TODO DIA não tem o que comer, que possuem problemas físicos, mentais e psíquicos gravíssimos e que vemos que elas se superam a cada dia. Não querendo mostrar para o próximo que ela é melhor que ele por motivos fúteis, como um camarote na balada (rs) e sim para uma auto afirmação de que ela é capaz de viver bem com os obstáculos.

Eu acho que as pequenas coisas e atitudes te farão uma pessoa excepcional. Temos que passar a amar cada minuto do nosso dia, e agradecer, seja lá quem for, pela existência de pessoas que nos amam e apoiam e pela nossa própria existência.

Música: Eu amo, amo da Manu Gavassi.

Música: Eu amo, amo da Manu Gavassi.

Nessas minhas caças na internet achei esse vídeo fofíssimo da Manu Gavassi, que era para uma campanha de uma revista adolescente, e confesso que achei super válido tudo o que ela cantou. Eu simplesmente AMO quando essas coisas acontecem, não é delicioso uma tarde de domingo ensolarada no parque com pessoas que você ama? Não é gostoso comer aquela sua comida preferida? Então, a proposta é essa, pense em tudo o que você mais ama e comece a dar valor à elas. Com a correria da cidade grande e as mil coisas para fazer acabamos por esquecer todas as delicias da vida. “DECLARE O SEU AMOR PELAS PEQUENAS COISAS QUE TE FAZEM BEM”.

Bom pessoal, a proposta foi dada, vamos nos esforçar. Beijocas e lembrem-se que estar na moda também é se declarar.

Texto e foto: Fernanda Tozzi.
Revisão: Spinelli Détachez.

Ressaca – Estencil.

Por @Detachez

Para quem não sabe, o estencil é um tipo de grafite muito utilizado pelos grafiteiros de todo o mundo. O mais famoso é o londrino Banksy, que usa a arte para expressar sua visão do mundo. O trabalho é feito de cortes únicos em papeis ou telas em que o artista expressa números, imagens e mensagens.

Foto por Spinelli Détachez.

Foto por Spinelli Détachez.

A ideia é um pouco mais complexa que o grafite normal, pois os artistas tem o trabalho de cortar todo o material, até que o molde fique pronto para o trabalho final. Mas com toda a dificuldade do mundo, o estencil é um dos meus favoritos, porque as mensagens parecem ser muito mais bonitas e diretas ao público.

Foto por Spinelli Détachez.

Foto por Spinelli Détachez.

Por todos os lugares da cidade de São Paulo, é possível ver essa tarde  e suas mensagens são as mais variadas. Diariamente, artistas criam suas ideias em cortes no papel ou em plástico, e aqui no Brasil o “movimento” vem crescendo e ganhando espaço e cada vez mais adeptos. Eu conheci um dos artistas mais incríveis que assina como Armamento Visual.

Armamento Visual.

Armamento Visual.

O estencil é simplesmente fantástico e aos poucos tem colorido a cidade que grita dizendo “Não Quero Ser Cinza”.

Foto por Emerson Nascimento.

Foto por Emerson Nascimento.

Texto produzido e revisado por Spinelli Détachez.

Páginas no Facebook:

Armamento Visual: [ https://www.facebook.com/armamentovisual.estencil?fref=ts ]
Emerson Nascimento: [ https://www.facebook.com/nasck?fref=ts ]

Arte em Sampa – SESI.

Por @umaAmyy

Olá leitores, a Galeria de Arte do SESI-SP, no Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso, apresenta até 19 de Janeiro de 2014 a exposição “Grandes Mestres da Arte Popular Ibero-Americana” com curadoria de  Cándida Fernández, traz ao Brasil, até então, a primeira e maior exposição artística que mostra o legado de criação artesanal Ibero-Americana evidenciando raízes e tradições comuns entre si.

Há uma grande diversidade vinda de um passado indígena, mestiço, crioulo e ibérico, tendo elas origens da  América Latina, Espanha e Portugal.

São 1.300 obras de arte que reúnem mais de 2.300 peças de cerca de 600 artistas. Dentre os 600 artistas, 79 deles são de diferentes regiões do Brasil.

A exposição que já passou pelo México, Espanha e Colômbia nos proporciona diferentes matérias-primas e técnicas reunidas em blocos como cerâmica, trabalho em madeira, papel, tecidos, fibras vegetais, joalheria entre outras manifestações culturais.

Não foi localizado crédito para esta foto.

Não foi localizado crédito para esta foto.

Endereço: Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso
Galeria de Arte do SESI-SP

Av. Paulista, 1.313, em frente à estação Trianon-Masp do Metrô.

Período de exposição: Até 19 de Janeiro de 2014, diariamente, das 10h ás 20h com entrada permitida até ás 19h40.

Valor: Gratuito.

Mais informações: 3146 7406 / 7405 ou http://www.sesisp.org.br/cultura/

Texto produzido por Mayara Moreno.

Revisão: Spinelli Détachez.

Leitores Recomendam – AMOR em SP.

Por @kia_souee

Já diz a musica de Criolo “não existe amor em SP” e em muitos momentos é isso que nos é posto, as pessoas andam em função do seu próprio bem, o dia-a-dia nos sufoca com deveres, horários, trabalhos, bagunças e cada um por si. Nós passamos de um lado para o outro e a cidade de São Paulo continua sendo como um enigma, aquele lugar sem amor, coberto de prédios, muitas vezes cinza, mas que não se apaga.

Complementando os pensamentos sobre a capital paulista me pego com a frase que diz “é sempre lindo andar pela cidade de São Paulo” (musica São Paulo, São Paulo) e pode acreditar sempre será lindo, quem nunca teve vontade de dar uma volta pelas ruas paulistanas né? È esse o lugar no qual encontramos diversidades, e riquezas formadas por gostos, é aqui que buscamos algo melhor.

Voltando a musica de Criolo, temos o trecho que diz “Os bares estão cheios de almas tão vazias, a ganância vibra, a vaidade excita”, infelizmente acredito que essa seja a principal critica e o principal fato por “não existir amor em SP”. Apesar da busca pelo melhor as pessoas andam vazias de sensações e coisas boas, estão juntas, mas não estão completas, talvez possamos colocar a culpa na tecnologia, nas redes sociais que aproximam os distantes e afastam os próximos, além disso, quantas vezes vemos casais e amigos sentados lado a lado focados em conversas pelo celular né, mas existem tantos outros momentos em que não há redes sociais ou celulares e mesmo uma pessoa diante da outra o vazio permanece – quer saber? O problema é a alma.

E assim continua o constrangimento de lugares cheios com pessoas vazias continua… E o fato é que esta tornando algo difícil para as pessoas sair com os amigos sem se prender a situações opostas, sem pensar nas obrigações que se tem devido à imposição pela necessidade de manter a nossa existência, porém é preciso não só existir como também viver, é necessário se associar verdadeiramente com outras pessoas, existe o desejo de compartilhar a vida e São Paulo esta ai lindo, grande e sempre tendo algo a oferecer, algo que pode nos preencher fazendo com que tornemos uma multidão cheia de alegria, momentos e vida. Por isso hoje, mais que ontem, menos que amanhã, por bares cheios de almas preenchidas, recomendamos amor em SP.

Fotos e texto produzido por Keisa Kessia. ♥

A Terra Vista do Céu.

Por @umaAmyy

Hey Hey Hey leitores, essa é minha primeira postagem como colunista da “Arte em Sampa”. Vou tentar trazer para vocês os mais diversos lugares, exposições e etc para vocês poderem visitar quando estiverem naqueles dias sem saber o que fazer, espero que gostem.

Eu, como uma admiradora de fotógrafos e suas artes, não poderia começar de outra forma que não seja com algo voltado a essa área. Esses dias estava na Av. Paulista e oque me chamou muita atenção foi a exposição que está disponível ao publico no Museu de Arte de São Paulo (Masp) e no contorno do Parque Trianon.

“A Terra Vista do Céu” é um projeto do fotógrafo e ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand. O acervo reúne 130 fotos tiradas em um período de 21 anos pelo fotógrafo sobrevoando os lugares com helicópteros e balões.

A exposição que já passou por vários lugares do mundo e veio ao Brasil no meio deste ano (2013) e já passado pelo Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e tendo final em São Paulo. O projeto teve inicio durante a Conferência das Nações Unidas em prol ao meio ambiente a ao desenvolvimento que aconteceu aqui no Brasil em 1992, sendo conhecida como a “Eco 92”.

O objetivo é mostrar a beleza do mundo que as pessoas acabam esquecendo e substituindo por gigantes de cimento e ferro cada vez maiores que tiram a beleza do dia-a-dia com seu cinza. Muitas fotos na exposição mostra a fragilidade de muitos lugares pelo mundo a fora e consequentemente nos faz refletir sobre oque vale mais a pena: a rica diversidade natural do mundo ou uma destruição sem limites.

Mapa Mundi de 200m².

Mapa Mundi de 200m².

Também esta aberta ao publico um mapa mundi de 200m² em que os visitantes tem possibilidade de interagir identificando os pontos geográficos vistos nas fotografias e também caminhar sobre o mesmo obtendo a sensação de estar com o mundo aos seus pés.

A exposição teve inicio, em São Paulo, no dia 15 de outubro e será finalizada em 15 de dezembro de 2013.

É totalmente gratuita e tem possibilidade de ser visitada a qualquer hora do dia ou noite até a meia noite.

Para saber mais sobre a história de criação da obra e horários para visitas escolares e com monitores da uma olhadinha no site: http://terravistadoceu.com/sobre-a-exposicao/.

Texto produzido por Mayara Moreno.

Edição: Spinelli Détachez.

Fotos: Ricardo Alencar.