Feliz aniversário, meu amor!

Por Fernanda Saraiva

Não canso de dizer que para mim, São Paulo é como um país dentro do Brasil. Aqui moram mais de 12 milhões de pessoas, dentre elas: paulistas, paulistanos, cariocas, gaúchos, nordestinos e estrangeiros. Um mundo dentro de outro mundo. Essa cidade é simplesmente incrível e eu não escondo JAMAIS o meu amor por ela. Moro aqui há 20 anos. E desde que eu me entendo por gente, me recordo de ser fissurada pela cidade. Meu pai me conta uma história sobre a CPTM, no caso, linha Diamante (Itapevi – Júlio Prestes), que, eu com uns quatro anos já sabia que na Leopoldina tem o túnel e que o trem iria ficar no escuro.

Centro velho. Foto: Fernanda Saraiva

Centro velho. Foto: Fernanda Saraiva

Recordo-me de quando eu iniciei esse projeto, lá em março de 2011. Com tantos altos e baixos, eu penso todos os dias em como isso me tirou de um caminho que eu poderia ter me afundado e lembro de todas as pessoas que já passaram por aqui. Já falei de tantos lugares e vivi experiências de outras pessoas que me fizeram senti viva. Eu lembro também de como aquela pichação na Barra Funda me tocou profundamente.

Hoje, recentemente, o atual prefeito da cidade de São Paulo, João Dória, resolveu que a cidade não precisava mais de cor, dos grafites e fez uma limpa em todos os murais importantes da cidade. Engraçado dizer isso, mas, São Paulo não quer ser cinza gente. Vi vários vídeos que mostram como a cidade ficou feia, com aquele cinza estranho, parecendo uma cidade gótica da era medieval. A verdadeira selva de pedras. Muito me entristece ver a cidade desse jeito. Em 2012, nesta mesma data, eu fui ao centro ver algum show no Anhangabaú e chorei por ver como a cidade estava suja, pessoas sujando as ruas, deixando tudo muito mais cinza e muito mais triste. Não parecia uma festa.

Este ano, em seu 463º aniversário, o que eu desejo para esta linda cidade é que, o prefeito tenha consciência que esta cidade tem vida própria. Ela engole a gente se não tomarmos cuidado. São quatro anos para ter ideia disso tudo. Desejo também que todos os moradores continuem amando e lutando por uma cidade justa para todos. E só para finalizar, uma pequena crítica à pintura do DÓRIAN GREY hahaha.

Rodrificando: Crônica Cinza #1 – Home office

Por Rodri.

Senta. Pega um café, coloca o headphone e tenta se concentrar. “Porra!”, ele diz. Não consegue se concentrar no trabalho com a TV ligada. Desliga a TV, aumenta o volume dos fones, resolve colocar uma música.

Mas qual?

“Eletrônico? Desse jeito vou acabar promovendo uma suruba nos meus neurônios”, pensa. “Funk? Fora de cogitação. Hardcore? Muito agitado. Samba? Muito dançante. MPB? Muito sonolento. Que tal um sert…CHEGA! ” Vai tentar de outra forma.

Acende um baseado, reflete por dois minutos que se não estivesse em home office jamais poderia ter essa atitude. Apaga. Decide se concentrar ao ar livre, vendo pessoas passarem. Chega na praça, mas vê que todos os bancos estão ocupados. Chega no parque e percebe que com tantas crianças fazendo barulho, essa não é a atitude mais inteligente a se tomar.

O que fazer, então?

CAFÉ. CAFÉ é a resposta.

Vai para a cafeteria ao lado do parque, inventa um nome qualquer para colocar no copo e pede um café puro, sem firulas, e no maior tamanho possível. Resolve uma das tarefas. Duas. Três. Quatro. Adianta o relatório que teria que entregar em 3 dias. Liga para o cliente. Confirma a reunião, adianta o máximo de tópicos possíveis. Faz uma pausa para comer, porque o pastel assado da cafeteria havia acabado de sair do forno.

Quando retorna as atenções ao trabalho, percebe que conseguiu liquidar com as tarefas. Olha no relógio e pensa: “ Acabei com tudo o que eu tinha para fazer e ainda é meio-dia? Maravilha! Vou almoçar e tirar o resto do dia de folga”.

Chega em casa. Nada de música, vai ver seriados. Nota que zerou na última semana todas as séries que queria assistir. Na TV aberta, só programa sobre dramas familiares ou bisbilhotando famosos. Na fechada, reprises de filmes e eventos esportivos.

Nota-se tão entediado com um dia todo pela frente que toma uma decisão: “Nunca mais faço home office”.

Recarregar #1 – Parque Cidade de Toronto

Por Rodri

A série “Recarregar” vem para mostrar para os leitores indicações de locais onde se pode descarregar o stress da correria do dia-a-dia, ou como o título mesmo diz, onde o leitor possa “recarregar” as energias, relaxar.

A primeira indicação é de um parque. Localizado em Pirituba, o Parque Cidade de Toronto é uma boa opção para quem precisa se distrair por algumas horas.

Toronto1

O parque foi resultado de uma parceria entre as prefeituras de São Paulo e Toronto.

Inaugurado em julho de 1992, o Parque Cidade de Toronto, ou simplesmente Toronto, é fruto de um programa realizado entre as prefeituras da cidade canadense e de São Paulo. O parque foi construído em torno de um lago, que já existia no local, como forma de protege-lo de acidentes. Por conta do lago, é possível observar algumas espécies de aves, como patos e garças. Ao atravessar a ponte que leva ao outro lado do parque, também dá para se observar peixes e tartarugas (estas mais próximas do brejo) interagindo.

Toronto2

Vista aérea do parque. No lado direito da foto, a Rodovia dos Bandeirantes.

Para quem procura um lugar para se exercitar, o Parque Cidade de Toronto também é um prato cheio. Ao entrar no parque, o visitante se depara com uma pista para cooper e caminhada. Algumas pessoas aproveitam as ruas aos arredores do parque, que são tranquilas e pouco movimentada por carros, para praticar corrida. Além dessas, o parque também oferece opções para quem prefere jogar aquele futebolzinho (são duas quadras) ou fazer exercícios funcionais (o parque tem alguns aparelhos para flexões, barras e abdominais).

Para os pais que querem opções de diversão com as crianças, há o playground, logo na entrada do parque. Com diversos brinquedos, a área fica localizada em um tanque de areia, ou seja, diversão na certa para os pequenos que pretendem montar seus castelos de areia. Em uma área ao lado do playground, há um enorme tobogã de alumínio, muito disputado pelas crianças que frequentam o Toronto.

Toronto3

Imagem do playground do parque. Ao fundo, o Tobogã.

Com fácil acessibilidade, o Toronto tem fácil acesso à Marginal Tietê, no sentido Cebolão. Na saída evitando a Marginal, o Toronto dá acesso à Avenida do Anastácio e à Rodovia dos Bandeirantes. O parque fica aberto todos os dias, das 6h às 18h.

Aproveitem.

Ressaca – Cápsula do tempo!

Por @Detachez

Lembro-me daquele filme com Nicholas Cage, Presságio, no qual, sua filha, junto com a turma da escola, abre uma cápsula do tempo de 50 anos.

No filme, a surpresa dele não foi muito boa, mas no nosso caso, esperamos que daqui a cinco anos, tudo que plantamos hoje esteja pronto para a colheita.

Já está rolando a nossa festa, e você, vai ficar aí parado olhando com cara de bobo(a)? Cola lá!

https://www.facebook.com/events/605707719516432/?ref_dashboard_filter=upcoming

Texto: Fernanda Saraiva.

Tá Na Moda – Dar Valor!

Por @Fernanda__Tozzi

Oi pessoas, eu estou com uma frase de uma música na cabeça a dias, e isso me pegou de tal forma. Vou fazer suspense e só falar que frase é no final, ou no meio, ou no começo… Suspense não vou falar, vai ter que ler tudinho para saber qual é!

Essa frase me fez refletir sobre o quanto a vida é pequena para nos importarmos com coisas banais. Eu acho que somos tão abençoados (desculpem-me os ateus, mas foi o ÚNICO termo que se encaixou com o que quis dizer) pelo simples fato de viver. Olha o céu, o mar, as árvores floridas, tudo é tão perfeito e lindo, para que vamos nos importar com pessoas totalmente desnecessárias? Todos temos problemas, ÓBVIO, mas se pensarmos bem, existem tantas pessoas em uma situação pior que a nossa. Gente que TODO DIA não tem o que comer, que possuem problemas físicos, mentais e psíquicos gravíssimos e que vemos que elas se superam a cada dia. Não querendo mostrar para o próximo que ela é melhor que ele por motivos fúteis, como um camarote na balada (rs) e sim para uma auto afirmação de que ela é capaz de viver bem com os obstáculos.

Eu acho que as pequenas coisas e atitudes te farão uma pessoa excepcional. Temos que passar a amar cada minuto do nosso dia, e agradecer, seja lá quem for, pela existência de pessoas que nos amam e apoiam e pela nossa própria existência.

Música: Eu amo, amo da Manu Gavassi.

Música: Eu amo, amo da Manu Gavassi.

Nessas minhas caças na internet achei esse vídeo fofíssimo da Manu Gavassi, que era para uma campanha de uma revista adolescente, e confesso que achei super válido tudo o que ela cantou. Eu simplesmente AMO quando essas coisas acontecem, não é delicioso uma tarde de domingo ensolarada no parque com pessoas que você ama? Não é gostoso comer aquela sua comida preferida? Então, a proposta é essa, pense em tudo o que você mais ama e comece a dar valor à elas. Com a correria da cidade grande e as mil coisas para fazer acabamos por esquecer todas as delicias da vida. “DECLARE O SEU AMOR PELAS PEQUENAS COISAS QUE TE FAZEM BEM”.

Bom pessoal, a proposta foi dada, vamos nos esforçar. Beijocas e lembrem-se que estar na moda também é se declarar.

Texto e foto: Fernanda Tozzi.
Revisão: Spinelli Détachez.

Qual seu time?

Amados leitores, estou fazendo uma campanha, era para sair essa semana, mas tivemos alguns imprevistos. Então, que tal começarmos a coletar as informações de agora?

A ideia é que vocês comentem e compartilhem o post falando sobre os times do coração e sobre seus esportes favoritos. Logo menos vai sair uma novidade e essas informações serão ótimas para estilizar a nova coluna. Conto com vocês.

 

 

Ipiranga não quer ser cinza.

Um lugar que aparentemente não quer ser cinza em São Paulo, fica alí na Avenida Ipiranga, no centro da cidade.

Detalhes muito pequenos já fazem toda a diferença na cidade cinza, e eu já havia notado este trabalho.

Numa banca de jornal, tem um desenho de ídolos da música, do esporte e do cinema. O trabalho foi feito todo em “estêncil”.

O estêncil é uma técnica utilizada com papel ou plástico resistente, no qual os artistas utilizam cortes nestes, em formato de imagens, números ou símbolos, para expressarem sua arte.

No caso deste trabalho, o artista que creio eu se chama Guiles, pois é esta a assinatura no trabalho, usou o estêncil para fazer imagens de Michael Jackson, Marilyn Monroe, Superman, Airton Senna, Amy Winehouse e Charles Chapplin, com rostos de caveira.

Trabalho em estêncil.

Trabalho em estêncil.

O trabalho ficou muito bacana e chama muito a atenção, pois está pintado em uma banca de jornal que fica com o desenho virado para a rua.

Enfim, só queria mostrar que ainda tem algumas coisinhas que fazem a diferença pelas ruas de São Paulo.

Rapidinhas.

Assista no Espaço Itaú de Cinema o novo filme de Wagner Moura, que conta no elenco com Matt Damon e Alice Braga, por $5 reais.

As sessões intituladas de “Sessão Popular” estarão disponíveis até 17 de Outubro.

Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca
http://www.itaucinemas.com.br
Rua Frei Caneca, 569
Consolação – Centro
São Paulo
(11) 3472-2365
Quando: diariamente de 11 (Sex) a 17/10 (Qui) às 14:40.

Texto produzido e editado por Spinelli Détachez. Foto por Spinelli Détachez.